O trabalho flexível tem registado um crescimento recorde nos últimos anos um pouco por todo o mundo e estima-se que ainda possa crescer 30% nos próximos cinco anos, de acordo com a Jones Lang Lasalle (JLL). Este crescimento é um dos motivos pelo qual se espera que o franchising seja o passo natural no que diz respeito à história do trabalho flexível.

Tradicionalmente, o franchising tem sido considerado como parte das indústrias de estilo de vida do consumidor – restaurantes e cadeias de hotéis são opções comuns para investir, devido ao reconhecimento da marca que muitas empresas desses setores detêm. Mas com a crescente popularidade e crescente necessidade de trabalho flexível nos principais centros do mundo e a força de trabalho móvel global a atingir 1,87 mil milhões de pessoas até 2022, os futuros franchisados devem considerar as outras opções disponíveis, de forma a beneficiar deste enorme potencial de crescimento.

Juntamente com novas oportunidades de franchising, surge um novo público. A geração do Milénio está a ser rapidamente vista como o futuro do mercado de franchising por variadas razões, entre as quais o desejo de trabalhar com flexibilidade, bem como a sua afinidade com as novas tecnologias. A colaboração e o trabalho em equipa são um dos maiores benefícios de um modelo de franchising e os millennials estão sintonizados nessa forma de trabalhar.

Franchising com aumento acentuado nos menores de 30 anos

O franchising oferece oportunidades a um nível verdadeiramente global. Pesquisas no mercado da Associação Britânica de Franchising (BFA) e do Natwest Bank sustentam essa visão, revelando que 18% de todos os franchisados estão com menos de 30 anos, com grande parte do crescimento impulsionado por mulheres.

O aumento acentuado junto dos menores 30 anos a iniciar o seu próprio negócio deve-se ao modelo de franchising que preenche a lacuna entre experiência e ambição: por um lado fornece a confiança de um modelo de negócios bem-sucedido e estabelecido, para que os empreendedores não precisem começar do zero, mas por outro permitem que não precisem de ser empregados de alguém. Terão assim a oportunidade de colocar o seu próprio entusiasmo e trabalho num conceito que tem a confiança de um negócio mais amplo por trás deles.

Além disso, o estudo relata que o franchising do Reino Unido é um setor de negócios com uma contribuição total para a economia do Reino Unido estimada em mais de 17 mil milhões de euros. Houve também um aumento significativo no número estimado de pessoas a trabalhar em franchising, com mais de 700 mil pessoas empregadas no setor.

36% de franchisings são fora dos EUA

A Entrepreneur.com divulgou um ranking de 500 franchisings e concluiu que estamos longe dos dias em que o franchising era associado a restaurantes de fast-food. Na verdade, a indústria de franchising está constantemente a ser rejuvenescida com novos players, à medida que se torna verdadeiramente internacional: 36% das empresas listadas franchisadas são fora dos EUA.

Desta forma, comprova-se que o modelo é bem-sucedido e as oportunidades de crescimento são significativas à escala local, regional e nacional, especialmente para marcas fortes e de renome global.

Contacto com a Imprensa:
ANDREIA MARTINS
Communication Coordinator
Avª. da França, nº 20 – sala 508 4050-275 Porto
t. +351 22 618 04 51
m. + 351 91 677 84 35
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome