Futuro do trabalho híbrido

A Adecco, empresa especialista em recursos humanos e outsourcing, diz que o desafio das empresas está num futuro do trabalho híbrido. O trabalho remoto tem sido um desafio mental para alguns, mas o regresso aos locais de trabalho físicos pode ser ainda mais difícil. Através do recurso a tecnologia de ondas cerebrais, um estudo recente da Microsoft constatou que quem conclui tarefas remotas é também quem tem mais dificuldade em colaborar pessoalmente, numa fase posterior.

Mas o trabalho remoto também é mais inclusivo – o estudo também revelou que 52% dos colaboradores remotos sentem que os seus contributos em reuniões são mais valorizados, dado estarem todos na mesma sala virtual ao mesmo nível. No entanto, também é verdade que quase 60% dos colaboradores relataram sentir-se menos conectados com os seus colegas desde que trabalham em casa.

Veja também: Adecco antecipa alterações no local de trabalho num mundo pós-pandemia

Então, qual é o equilíbrio? O futuro do trabalho deve ser híbrido

O mundo está pronto para o “trabalho híbrido”, já que empresas e colaboradores pedem maior flexibilidade após o Covid-19.

Os gestores estão a analisar os benefícios da mudança e a reconhecer o valor complementar de um modelo híbrido de escritório / trabalho remoto. Isso representa uma oportunidade para repensar os modelos operacionais para identificar o melhor novo equilíbrio do trabalho flexível, a fim de maximizar os benefícios para os seus próprios funcionários e negócios.

No entanto, embora o aumento da flexibilidade e o trabalho em casa sejam uma aspiração para os colaboradores, os empregadores devem garantir que a colaboração e os relacionamentos com os colegas não sofram, pois, o trabalho remoto permanece. 74% dos entrevistados disseram que uma mistura de trabalho remoto e no escritório será o melhor caminho a seguir.

Haverá mais flexibilidade no nosso futuro, mas a questão de como isso é sustentado a longo prazo, para além da pandemia, permanece um desafio fundamental para as empresas.

Com todas as partes a exigir maior flexibilidade, é imperativo que todos estejam alinhados no modelo ideal. Auscultar as necessidades dos colaboradores para identificar quais os elementos do trabalho flexível que funcionaram bem e onde ainda há espaço para melhorias é o primeiro passo para estabelecer a nova norma.

Para garantir o sucesso, os líderes devem considerar as mudanças que ainda devem ser tomadas nos estilos de trabalho, ritmo de comunicação e organização da equipa, ao adotar um modelo de trabalho híbrido e evitar simplesmente aplicar as estruturas do passado.

Veja também: Flexibilidade laboral: o fim dos horários “nove às seis” e das semanas de cinco dias

Com a preferência para a divisão uniforme entre escritório e trabalho remoto, os líderes devem considerar qual a funcionalidade e o objetivo do escritório e, enquanto espaço de trabalho partilhado, como pode agregar mais valor a uma força de trabalho que pode e funcionará em qualquer lugar do mundo.

Para mais informações, por favor, contactar:

Sofia Velasco – Communication Director @ EDC

Tel: (+351) 211 913 070 | Tm: (+351) 932 101 396 Email: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome