A promoção do turismo sustentável no território dos vinhos verdes – e de Monção e Melgaço – é a nova aposta do Clube de Produtores de Monovarietais de Vinho Verde (VVCPM). Em conjunto com todos os membros integrantes da associação, pretende-se criar uma rede e uma marca de quintas de vinho verde que promovam um turismo direcionado para a sustentabilidade ambiental, social e económica e, ao mesmo tempo, promover o turismo na região de Monção e Melgaço, território alvo nesta primeira fase do projeto.

Foi sob este propósito, e em linha com a estratégia definida pelo Turismo de Portugal, onde o enoturismo tem, cada vez mais, maior relevância, que o VVCPM apresentou o projeto “ENOTOUR – Promoção do Turismo Sustentável no Território dos Vinhos Verdes e do Alvarinho de Monção e Melgaço”, uma candidatura ao programa Valorizar, no âmbito do Portugal 2020, em fase de análise.

O objetivo é alinhar uma estratégia consertada entre o enoturismo com o turismo sustentável e com as tradições culturais e gastronómicas da região de Monção, Melgaço e do Vinho Verde. Neste sentido, é intento do Clube criar uma marca de cariz ecofriendly, que será depois atribuída aos produtores/quintas da região, com o propósito de credibilizar e promover as boas práticas ambientais que estão a ser aplicadas nas diversas quintas e adegas da região.

Plataforma de quintas de vinho verde quer atrair mais visitas ao território

O projeto prevê ainda a criação de uma plataforma digital colaborativa, que reunirá conteúdos em realidade aumentada, aliando a tecnologia à tradição, história e cultura local. Para tal, o Clube conjetura trabalhar num programa de atividades e ações direcionadas para a vertente ambiental, social, cultural e económica da região, transformando assim os meios existentes num produto turístico atrativo do ponto de vista da sustentabilidade nos seus vários níveis.

O projeto dinamizará toda a economia, uma vez que alavancará o aumento do número de turistas, motivados não só pela qualidade dos vinhos, mas também pela forte componente ambiental, que, ao visitarem a quinta/adega, acabam também por querer explorar a região.

solar de serrade quinta de vinho verde
É objetivo do Clube reunir na plataforma digital diferentes informações, possibilitando ao visitante uma experiência enriquecedora: o acesso a informações de cariz patrimonial e ambiental das diversas quintas de vinho verde, assim como a pegada ecológica, as medidas implementadas e a implementar, os objetivos ambientais e informações sobre os volumes de produção.

O visitante ficará ainda contextualizado sobre o território, assim como das ofertas turísticas (alojamento, restauração, entre outras). «Uma oferta turística integrada, fundada na qualidade do território, dos produtos e dos serviços», garante o Clube de Produtores de Monovarietais de Vinho Verde.

Projeto poderá ser aplicado noutras regiões

O “ENOTOUR – Promoção do Turismo Sustentável no Território dos Vinhos Verdes e do Alvarinho de Monção e Melgaço” apresenta-se como um projeto com diferentes vertentes e em que todas se tornam essenciais para a região onde está inserido.

O projeto não ostenta qualquer restrição temporal ou territorial, existindo a possibilidade de, a longo prazo, ser implementado num diferente território vitícola ou alargá-lo a outros produtores interessados.

Terá ainda capacidade para englobar vários setores de atividade turística, nomeadamente hotéis, restaurantes, operadores turísticos, entidades promotoras do território a atuarem no PNPG, associações, produtores de artesanato local, entre outros, potenciando assim a criação de parcerias entre os diferentes atores, com o objetivo de proporcionar uma oferta turística mais completa e diversificada.

Sendo a sustentabilidade ambiental o pilar principal deste projeto, as diferentes entidades terão acesso a um conjunto de informação sobre as boas práticas ambientais, de forma a avaliarem a implementação no seu setor de atividade, e assim contribuírem para um turismo mais sustentável, indo de encontro às metas definidas na Estratégia para o Turismo 2027.

No período pós-financiamento, o “ENOTOUR – Promoção do Turismo Sustentável no Território dos Vinhos Verdes e do Alvarinho de Monção e Melgaço” será financiado principalmente através do pagamento de quotas anuais. Os produtores ou as associações que se mostrem interessadas em colaborar com esta plataforma tornar-se-ão assim sócios do projeto.

Produtores e quintas de vinho verde estão apostadas na valorização da atividade

O Clube de Produtores de Monovarietais de Vinho Verde (VVCPM) foi fundado em 2018, por iniciativa dos sócios gerentes da Quinta de Soalheiro, com o objetivo de fomentar o enoturismo, a produção de uvas e de vinho de qualidade e a inovação e o desenvolvimento.

Apresenta-se como uma associação que pretende divulgar as potencialidades das diferentes sub-regiões do Vinho Verde, criando parcerias que permitam aumentar as visitas ao território e a melhoria do turismo das vinhas, incentivando o desenvolvimento económico mediante uma oferta turística integrada, fundada na qualidade do território, dos produtos e dos serviços.

quinta vinho verde edmundo valencaTem na sua constituição uma grande maioria de viticultores de Monção e Melgaço, dedicados à produção de Alvarinho, e produtores da região dos Vinhos Verdes, cujo foco na qualidade, no enoturismo e na inovação são prioridades. Tratam-se de produtores de uva da casta Alvarinho (DOC ou IG), incluindo os da sub-região de Monção e Melgaço, produtores de uva da casta Loureiro (DOC Vinho Verde ou IG Minho), produtores de outras castas Brancas e Tintas como Avesso, Azal, Arinto, Trajadura, Vinhão, Espadeiro, Alvarelhão, entre outras implantadas na região dos Vinhos Verdes. A entidade representa ainda produtores que tenham atividade de enoturismo.

Experiências pelas quintas de vinhos verdes

Para assinalar o Dia Mundial do Enoturismo, o Clube de Produtores apresenta algumas sugestões de visita: à Quinta de Amares, um dos maiores produtores de Loureiro da região, localizada no concelho com o mesmo nome; à Quinta de Santa Cristina, uma referência na região de Basto onde o enoturismo é já uma realidade com profissionalismo e diversas possibilidades de visitas; à Quinta Edmundo Val, em Valença, que surpreende com uma vistosa panorâmica de vinhas e provas comentadas.

Em Monção e Melgaço as propostas recaem no Solar de Serrade, onde, para além de visita às vinhas, os visitantes têm a possibilidade de ficarem alojados – um Hotel recuperado de uma antiga casa apalaçada que permite um contacto muito próximo com a natureza e os prazeres do Alvarinho; na Quinta de Alderiz, um projeto de família dos irmãos Pinheiro que possui uma vasta área de Alvarinho e produção própria; no produtor Dom Ponciano, que possibilita visitas às vinhas e provas na adega; e ainda na Quinta de Soalheiro, impulsionadora deste projeto que concretiza a possibilidade de dar resposta ao objetivo comum, dos produtores, de comunicar um complemento do turismo do vinho e da vinha, já existente em Portugal, nomeadamente o mais próximo desenvolvido da margem do rio Douro.




Informações adicionais para órgãos de comunicação social:
Essência Completa
Sara Pereira
[email protected]
969 290 280
ou
Clube de Produtores VVCPM
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome