grupo salvador caetano
Grupo Salvador Caetano está a mudar o chip da combustão para o elétrico

A adoção de soluções de mobilidade ecológica foi um dos caminhos apontados, como urgente e irreversível, no evento Move to Electric Summit, promovido pela Caetano Motors e Caetano Gamobar, do Grupo Salvador Caetano, em Lisboa (24 de Setembro) e no Porto (8 de Outubro), em exclusivo para mais de 150 empresas convidadas. A iniciativa dedicou duas tardes à mobilidade elétrica e contou com vários oradores e temas que, acima de tudo, pretendiam ajudar a tomar importantes decisões para o futuro da frota das empresas e do seu negócio.

Carla Araújo (Caetano Motors Setúbal) e Jorge Filipe Silva (Caetano Motors Almada) deram o mote para o Move to Electric Summit Lisboa: «Queremos ser parceiros nestas mudanças. Uma transformação que vai ser o futuro». Com mais de 300 quilómetros de estrada, e duas semanas depois, realizou-se a versão Porto do evento. Joana Lemos (Caetano Gamobar Gaia) e Ricardo Ramos (Caetano Gamobar Porto) falam de uma iniciativa que superou as expetativas: «É importante para nós, enquanto parceiros de negócios de muitos dos nossos clientes, mantê-los informados e a par das novidades. É, pois, uma alegria enorme voltarmos a ver-nos nesta rentrée, num evento que foi um sucesso».

Grupo Salvador Caetano está a mudar o chip da combustão para o elétrico

O desafio das transformações climáticas «obriga-nos a ir depressa», referiu Jorge Tomé, diretor da marca Peugeot em Portugal, para quem a pandemia veio acelerar ainda mais o processo da mobilidade elétrica.

«Cada vez mais, existem restrições nas grandes cidades, como já acontece na zona central de Madrid, em Espanha, e o mesmo vai acontecer em Portugal, nos grandes aglomerados, como Lisboa e Porto.  A pandemia veio acelerar a eletrificação automóvel», salientou o representante.

LEIA TAMBÉM: Carregamento de carros elétricos: Miio introduz pagamentos ocasionais sem contrato na rede pública

Numa viagem pela história da Peugeot, Jorge Tomé deu ainda a conhecer a gama de veículos híbridos e elétricos, e o compromisso com a eletrificação a curto passo. Mas, no evento do Grupo Salvador Caetano, foram várias as perspetivas do mercado automóvel e as vantagens da mobilidade elétrica dos mais variados pontos de vista, como por exemplo na fiscalidade.

O lado fiscal da mobilidade elétrica

Bruno Chotas, consultor na Ordem dos Contabilistas Certificados, falou mesmo no lado «bom dos impostos» na mobilidade elétrica. É que, se adquirirmos um veículo elétrico, conseguimos recuperar, a curto prazo, o montante do IVA, os 23%.

«Se pensarmos numa viatura de 50 mil euros (mais IVA), são 11 500,00€ que recuperamos», afirmou o consultor. Uma das vantagens fiscais, entre várias apontadas ao longo das duas tardes que o evento dedicou à mobilidade elétrica.

Ricardo Oliveira, da World Shopper, contagiou a assistência da iniciativa do Grupo Salvador Caetano com a sua energética prestação, ao desmistificar muitos mitos associados à mobilidade elétrica.  Na última viagem que o “Viver Elétrico” fez à Alemanha (Munique/Lisboa), no veículo 100% elétrico, fizeram-se 26 carregamentos, ultrarrápidos, para 5 mil quilómetros. «O automóvel é um instrumento de liberdade. E tem que ser assim também com os veículos elétricos», sintetizou.

LEIA TAMBÉM: Carros elétricos: dicas para os condutores planearem as rotas de férias no verão

Para ajudar a descortinar a condução defensiva e «transformar as curvas em retas», a plateia do Move to Electric Summit contou ainda com a prestação de dois especialistas: Pedro Nogueira e Fátima Mariano, instrutores de Condução Defensiva e Evasiva(A Condução Defensiva em Viaturas Elétricas).

Test Drive da gama Peugeot na reta final da iniciativa do Grupo Salvador Caetano

Depois de conhecerem a nova gama de carros elétricos do Grupo Salvador Caetano, de ficarem a saber como se podem financiar, como carregar as baterias dos carros elétricos e sua utilização, os participantes foram convidados à experimentação.

Na reta final do evento, o test drive na gama de elétricos e híbridos plug-in Peugeot proporcionou testarem na prática tudo o que foi dito.  E também foi possível  registar a opinião de algumas das empresas participantes sobre este evento de mobilidade elétrica e perceber se  os temas foram esclarecedores e estarão mais preparadas na tomada de decisões.

Quem já experiencia tudo o que foi dito pelos vários oradores é a empresa Amkor Portugal, que se destaca por ter uma frota100% híbrido plug-in. Rui Costa, da Amkor, foi um dos decisores que participou no Test Drive da Peugeot. «Confirmei algumas posturas de condução, alguns pontos a corrigir e de resto já estou habituado a conduzir um elétrico», referiu.

LEIA TAMBÉM: Carros de luxo: um sonho que se pode tornar num negócio

Ainda a dar os primeiros passos na condução de elétricos, Eduardo Ferreira Romão, da Ferreira Romão, aproveitou esta experiência do Grupo Salvador Caetano para esclarecer algumas dúvidas: «O que foi dito lá dentro foi o que tentamos fazer no carro, fiz algumas perguntas, pelo que saio daqui mais esclarecido».

Evento sobre mobilidade elétrica desmitificou vários temas

Com o processo de mobilidade elétrica no horizonte, Joana Gonçalves, diretora de compras da Cinca, considerou o summit «muito útil» para esclarecer dúvidas. E o mesmo acontece com a empresa de António Paiva, da direção de compras da Derichebourg Facility Services, que pensa iniciar a eletrificação em Portugal. «Percebemos neste evento que ao fim de dez anos o elétrico continua com a bateria ótima, desmistificados mitos referentes à durabilidade das baterias. E também conseguimos perceber todos os custos que conseguimos reduzir na frota», destacou o responsável da Derichebourg.

O Move to Eletric Sumitt do Grupo Salvador Caetano foi igualmente importante para quem já se move de modo elétrico.

A empresa Pinto & Cruz tem na sua frota 20 viaturas, 100% elétricas. «Esta iniciativa tornou-nos mais consciente relativamente às viaturas elétricas, o que destaco é mesmo os esclarecimentos sobre o aspeto fiscal», sintetizou Daniela Mendes, gestora de frota da Pinto & Cruz.

A Politérmica Engenharia está a dar os primeiros passos na eletrificação. O administrador Manuel Rodrigues esteve presentena iniciativa e classificou de «muito valioso o evento», sobretudo porque «adquirimos recentemente viaturas e estamos ansiosos por as receber e continuar no elétrico».

LEIA TAMBÉM: EXPOMECÂNICA prova resiliência do setor: mais de 200 expositores, 51 estrangeiros e 10 países representados

Na reta da meta e olhando para o retrovisor da iniciativa do Grupo Salvador Caetano fica a certeza de que o evento sobre mobilidade elétrica atingiu «o pleno». João Gonçalves, diretor-geral da Caetano Motors e Caetano Gamobar, fez um balanço muito positivo da iniciativa:  «Estamos muito satisfeitos, o evento conseguiu cativar as pessoas, nos termos que queríamos e da forma que queríamos. Também serviu de motivação interna, pela partilha de informação, onde todos aprendemos. Já estamos a pensar no próximo evento».

E o próximo não será certamente igual ao Move to Electric Summit mas, garante a Caetano Motors e Caetano Gamobar, terá sempre como pano de fundo a eletrificação. E será para breve.

Informações adicionais

Catarina Pinto | [email protected]

Catarina Sá | [email protected]

Grupo Salvador Caetano

FONTEGrupo Salvador Caetano
Artigo anteriorConcerto Luiza Lian em Portugal, no MusicBox
Próximo artigoMundo de Luísa Restaurante abre na Marques Soares
Envie-nos o seu press release através do nosso formulário de submissão e potencie a visibilidade da sua marca, empresa, ideia ou projeto. Se tiver dúvidas sobre a elaboração de uma nota à comunicação social, leia o nosso artigo "Como Fazer um Press Release".