carros de luxo

Sonho de consumo da maioria dos mortais, os carros de luxo ou desportivos são veículos exclusivos e caros, que satisfazem os anseios de quem é apaixonado por máquinas que não estão ao alcance de todos. Poucas pessoas sabem, mas é possível ter um carro novo todos os anos e, o melhor, ganhar dinheiro com isso. O empresário André Leonardo Couto é um exemplo de como transformar uma grande paixão em negócio, com a fundação da ALC Veículos, uma agência que negocia carros de marcas de renome, como, Mercedez- Benz, Porsche, BMW e Volvo.

Advogado reconhecido na área direito do trabalho, André Leonardo Couto sempre foi um entusiasta das supermáquinas. “As marcas que mais aprecio são BMW, Mercedez-Benz, Volvo e, sem sombra de dúvida, a Porsche. As três primeiras porque são clássicos mundiais e possuem veículos esplendorosos. Agora, a Porsche é uma mistura da primeira namorada, com a namorada mais bonita e com traços da namorada perfeita. Os veículos são fabulosos e quem puder ter um, eu friso, não deixe de tê-lo, porque a vida é um presente de Deus, mas saber aproveitá-la é um presente da sabedoria e o prazer em conduzir um Porsche é inigualável”, conta.

Trocar carros de luxo com pouca quilometragem pode gerar lucro

E justamente pela paixão pelos carros de luxo exclusivo, André Leonardo Couto transformou o prazer de ter sempre carros novos e luxuosos na garagem num negócio. “Sempre gostei de carros de luxo. Sem ninguém me ensinar, trocava os meus veículos geralmente dentro de um ano e com pouca quilometragem. Até que, em um determinado momento, optei por adquirir um automóvel de maior valor e, quando precisei de vender, descobri uma loja especializada que não somente vendeu esse veículo em tempo recorde, mas também o ágio. Foi nessa altura que descobri que veículos premium novos e com baixa quilometragem são ótimos negócios e possuem uma liquidez quase igual ao dinheiro”, explica o advogado, que chegou a negociar sete veículos premium num ano, apenas para uso próprio.

Leia também: Oficina 4.0 dá a conhecer a tecnologia do futuro no expoMECÂNICA

Com essa rotatividade positiva na garagem e percebendo que estava sempre de carro novo e ainda vendo o seu dinheiro a render, André Leonardo Couto decidiu fazer da sua paixão um negócio e, assim, surgiu a ALC Veículos, empresa que integra o recém criado ALC Group. “Há um conceito no mercado de que um carro não é um investimento. E realmente não é mesmo, principalmente quando se tratam de veículos populares usados e com alta quilometragem. O mesmo não passa com um carro de luxo, porque geralmente são adquiridos com zero quilómetros ou com no máximo dois anos de uso e baixa quilometragem. Nos últimos anos, esses veículos tem demonstrado tratar-se de um bom investimento, porque como não existem em grande escala e, ainda, com a subida do dólar e o baixo retorno dos investimentos bancários, o prazer torna-se também um negócio, o casamento ideal, onde o divórcio somente existe para a aquisição de outro carro de luxo, ainda melhor e de maior poder aquisitivo. Geralmente quem investe em veículos premium aumenta tendencialmente o valor do bem adquirido”, aponta o empresário.

Enquanto o surto de Covid-19 está ter impacto em diversos setores da economia de maneira negativa, o segmento de carros luxuosos acabou por se valorizar ainda mais. “Durante o ano passado e o início deste ano, a pandemia acarretou a redução da produção da matéria prima para os veículos, o que fez com que os fabricantes reduzissem o número de carros fabricados e, com isso, hoje a oferta é menor do que a procura, ou seja, não há veículos no mercado. Assim, o mercado de veículos premium passou a ter o que chamamos de ‘ágio’, ou seja, a pessoa adquire o bem pelo valor “x”. Quando o bem chega, em média 120 dias após a aquisição, ele consegue vender este veículo, por estar disponível para entrega, pelo valor ‘x’ + ágio. Já apurei hipóteses de marcas importadas em que o ágio pode chegar até 40% do valor do veículo”, relata.

Leia também: Salão automóvel do pós-venda português muda para bienal a partir de 2020

Para fundar a ALC Veículos, sem deixar de estar à frente do seu escritório de advocacia, André Leonardo Couto passou a contar com um sócio comercial experiente em veículos premium. Cássio Alessi, que possui grande experiência na negociação de carros de luxo e desportivos.

Cássio Alessi aponta alguns motivos que são mais perceptíveis quando o comprador decide adquirir um carro de luxo. “Sonho, desejo, confiança, potência e tecnologia incluida. Além disso, agora a grande tendência são os veículos híbridos e elétricos, que são mais ecológicos por terem baixa ou nenhuma emissão de poluentes, sendo também mais económicos”, explica o profissional, que compartilha de uma opinião com André Leonardo Couto. De acordo com os sócios, os veículos a combustão estão com os dias contados.

Para mais informações:

Heberton Lopes – [email protected]