experiencias radicais
Caminhadas, escalada, "slackline" e "paintball" fazem parte da oferta de experiências radicais da Hommad

No início foi a ideia. De um homem. E o grupo veio depois. Por afinidade e partilha. De muita coisa. Hommad. Surgiu em 2014. Não porque tivesse(m) atirado o barro à parede. Inspirado antes em pequenos trabalhos caseiros, como trabalhar a madeira, e, também, na produção de vídeos sobre desportos de natureza. De home made (feito em casa, em inglês) e Homo Sapiens made (feito pelo Homem) foi um salto até Hommad. O gosto pelo desporto de natureza e pelas experiências radicais ganhou forma. E o grupo prepara-se agora para lançar (em 2020) a sua primeira plataforma de serviços ao público. Com um compromisso de monta: oferecer experiências de vida!…

Caminhadas, acampamentos, passeios de bicicleta de montanha, escalada, slackline, paintball, workshops de agricultura biológica fazem parte da lista de atividades outdoor únicas organizadas pela Hommad, que contempla igualmente instrução e ensino de melhores práticas de sustentabilidade.

“O segundo projeto passa por reavivar a cultura do desporto de natureza na zona centro, começando por Porto de Mós, onde estamos responsáveis por restabelecer as zonas desportivas, principalmente trilhos de bicicleta. Ao mesmo tempo, iremos participar no campeonato de downhill como equipa profissional”, sublinha António Marques, o criador do conceito Hommad.

O “bichinho” por desportos de Natureza e experiências radicais

“Dentro do nosso estilo, procuramos sempre passar uma mensagem de preservação da natureza, tentando sensibilizar as pessoas a aventurarem-se e a partir em busca do desconhecido. Tudo isto através de diversos projetos e eventos, na promoção de uma vida mais saudável, ativa e aventureira”, explica António Marques, na companhia dos outros três membros do núcleo duro do grupo: Humberto Cipriano, Humberto Videira e Telmo Febra.

Sempre foram praticantes de desportos, com destaque para o downhill, e foi assim que iniciaram o projeto Hommad, com a criação de uma série composta por seis episódios videográficos, que conheceu o nome de “Don´t Let The Trails Ends. No fundo, um incentivo ao cuidado de trilhos, que, nas suas deambulações, começavam a encontrar menosprezados.

Depois veio a exploração de atividades como o slackline, escalada e o surf, incentivados por amigos, que lhes despertaram ainda mais o “bichinho” por desportos de Natureza e experiências radicais, valorizando assim o espaço onde estão inseridos.

“Com o passar do tempo, ficou cada vez mais ciente aos nossos olhos que o cuidado pela natureza não é suficiente! Comprometemo-nos, então, a passar uma palavra de incentivo e de esperança para que todos nós possamos mudar algo e fazer a diferença”, argumenta António Marques.

Gosto e alma

A presença nas redes sociais e o website são os principais meios de partilha das experiências radicais e das notícias de relevância que giram em torno da “causa Hommad”.

“Temos uma equipa a trabalhar, cada um de nós tem a mesma preocupação, mas com capacidades diferentes, desde a filmagem, à edição, à programação, ao design, até à prática dos desportos de natureza”, explicam.

“Fazemos por gosto, fazemos (quase) como hobbie, fazemos o que podemos e como podemos. Com a ajuda de apoios e através do nosso trabalho. Movemos juntos o espírito de Natureza, um estilo de vida, uma forma de viver”, remata António Marques. É assim quando se fala com alma e… do que move o grupo Hommad.




Informações adicionais para órgãos de comunicação social:
António Marques
Hommad
Email: [email protected]

Considere ler também:
Competição de slackline em Portugal dita campeão europeu;
O Campeonato Europeu de Trickline regressa a Portugal;
Há cada vez mais eventos na “corda bamba”….

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome