como lidar com pensamentos negativos

O cérebro humano é uma máquina extremamente complexa capaz de criar sensações, imagens e de armazenar todas as informações e experiências que vivenciamos ao longo da sua vida. Este órgão tem sido objeto de estudo da ciência durante séculos e pouco se sabe a seu respeito. Trata-se de uma fonte inesgotável mistérios, muitos ainda por decifrar, e uma das questões de maior transversalidade, “como lidar com pensamentos negativos”, continua a merecer a nossa atenção.

Através de conexões neurais, o nosso córtex cerebral surge à formulação dos pensamentos responsáveis pelos nossos atos, escolhas e tomadas de decisões conscientes e inconscientes.

Existem alguns tipos de pensamentos, que quando menos esperamos não conseguimos controlar, surgindo através de imagens inesperadamente e de forma incontrolável na nossa tela mental. Estas manifestações de nós mesmos podem ter um efeito perturbador significativo e, por isso mesmo, saber lidar com pensamentos negativos pode ser considerada uma competência de autopreservação.

Os hábitos pessoais refletem-se na forma como o pensamento se irá desenvolver, seja ele para o lado positivo ou para o negativo.

Saber controlar nossos pensamentos é um fator decisivo na qualidade de vida e bem- estar de um indivíduo, não se deve excluir a existência de casos que, dependendo da gravidade na qual se apresenta o desequilíbrio mental, é necessário recorrer a ajuda e acompanhamento de um profissional de saúde.

Leia também: Estudo analisou sintomas de depressão, ansiedade e stress em crianças portuguesas em idade escolar

Descobrir a origem dos pensamento, a base de como lidar com pensamentos negativos

Para ter uma saúde mental em equilíbrio é necessário entender que tudo se extrai uma aprendizagem, até mesmo de uma situação ou experiência considerada negativa.

Não se trata de se culpar por se sentir negativo, mas diz-se mais a respeito de refletir sobre a origem desse pensamento e que sentimento deve ser trabalhado como, por exemplo, o medo, desapego ou a culpa para poder se libertar de um pensamento nocivo ou repetitivo.

Analisar e identificar a causa de um pensamento, para poder substitui-lo por outro positivo e atitudes como praticar o autoperdão, ser grato pelas pequenas coisas e saber desculpar as falhas dos outros, colaboram para a que a neuroplasticidade trabalhe a seu favor.

Como lidar com pensamentos negativos partindo do autoperdão 

Para nos libertamos dos pesos e amarras que nos aprisionam nos nossos pensamentos é necessário praticarmos o perdão para com os outros. Essa nobre atitude proporciona a sensação de paz interior, porém, muitas vezes negligenciamos o ato de nos perdoarmos a nós mesmos. 

Leia também: Como lidar com a ansiedade? Hipnoterapeuta Rosa Basto explica em livro

No processo de aprendizagem da vida, muitas vezes, erramos e magoamos os outros intencionalmente ou não, que mais tarde devido ao nosso processo de amadurecimento emocional, reconhecemos que aquele tipo de atitude foi desnecessária ou infantil, mas que não deixou de ser importante para o processo de evolução.

Em muitos casos esse tipo de autorreflexão é construtivo e proporciona ganhos e aprendizagem, porém noutros casos, infelizmente, essa autorreflexão promove um mecanismo de acusação interna e de julgamento, proporcionando consequências tanto físicas como emocionais, fundadas no sentimento de remorso.

Por isso, a capacidade de se autoperdoar é necessária e importante, senão fundamental, para que haja uma libertação dos sentimentos negativos e se evite remoer mágoas e situações do passado que não tem retorno. Quando os sentimentos de culpa, de arrependimento ou de remorso não endereçados e resolvidos, qualquer estratégia sobre como lidar com pensamentos negativos pode ficar comprometida.

É fundamental não alimentar emoções tóxicas

Há que procurar o lado bom das coisas, não alimentar pensamentos e emoções negativas. A qualidade de nossos pensamentos exige esse trabalho que deve ser diário, persistente e de muita força de vontade. Deve-se enfrentar os problemas e encarar os medos e desafios sem se deixar que as situações negativas nos verguem, pois como dizia o Rabi Moshe Ben Maimon: o ser humano é como um ferro que ficou torto, não adianta puxa-lo para o meio, há que dobrá-lo para outro lado para que se possa desentortar.

Para mais informações

Marcos Mendes – A Melhor Maneira

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome