O novo Telescópio Solar Europeu (EST, na sigla em inglês), que será instalado nas Ilhas Canárias, em Espanha, vai ser apresentado a cientistas e empresas de Portugal hoje, dia 25 de junho, no “Portugal EST Day”, em formato “webinar”.

O evento é promovido pela Universidade de Coimbra (UC), através do Observatório Geofísico e Astronómico (OGAUC), membro da Associação Europeia de Telescópios Solares (EAST, na sigla inglesa), desde 2019, e pelo Centro de Investigação da Terra e do Espaço (CITEUC). Esta iniciativa, que conta com a cooperação da Portugal Space – Agência Espacial Portuguesa, visa que Portugal seja membro pleno do futuro Telescópio Solar Europeu.

O novo Telescópio Solar Europeu, um telescópio de 4 metros otimizado para estudos do magnetismo solar e das camadas solares mais exteriores, como a fotosfera (que aos nossos olhos parece ser a sua superfície) e a cromosfera (que apenas vemos durante os eclipses), deverá estar operacional em 2027.

Recurso ao novo telescópio solar introduz um novo “universo” de possibilidades

O objetivo do “Portugal EST Day”, diz o astrónomo Nuno Peixinho, «é apresentar as oportunidades que este projeto oferece às comunidades científicas e industriais portuguesas».

«As variações da atividade magnética solar induzem alterações terrestres que podem afetar milhões de humanos num breve espaço de tempo. Os fenómenos solares podem ser muito belos quando vistos por um telescópio solar, fascinantes quando parecem novelos de campos magnéticos, espantosos quando criam intensas auroras boreais… Mas também devastadores quando dependemos de uma tecnologia que estes perturbam. Essas alterações são hoje o foco do estudo da meteorologia espacial, do inglês space weather, essa jovem área científica que nasceu da física solar», afirma o investigador da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

Num mundo «cada vez mais dependente de serviços por satélite, a perturbação dos sinais que deles recebemos tem consequências cada vez mais extensas e globais. Enquanto se projetam e lançam constelações de milhares de satélites para nos fornecerem preciosos serviços sem fios, precisamos cada vez mais de prever os fenómenos extremos que ocorrem no Sol e quais as suas consequências: e para isso precisamos de um novo impulso na física solar e na meteorologia espacial», observa.

Assim, o Telescópio Solar Europeu (EST) é a «resposta da comunidade científica a esta necessidade de compreender e prever o comportamento solar e suas consequências aqui na Terra, principalmente as consequências na tecnologia que hoje desenvolvemos e usamos. A construção do EST, nas Ilhas Canárias, garantirá o acesso da Física Solar Europeia a uma ferramenta essencial para essa investigação que necessitamos», assevera o também coordenador da Unidade de Promoção da Ciência do Observatório Geofísico e Astronómico da UC.

O “Portugal EST Day”, apoiado pela Portugal Space e pela UC Business, conta com intervenções do coordenador do EST, Manuel Collados, do cientista de suporte do EST, Carlos Quinteros, e do engenheiro de sistemas do EST, Miguel Núñez, do Instituto de Astrofísica das Canárias.

O programa do evento está disponível: aqui. A participação é livre mas requer inscrição através do link: forms.gle.

Mais informação disponível em est-east.eu e est-east.eu/promotional-materials.

Para mais informações

Cristina Pinto – Assessoria de Imprensa | Universidade de Coimbra • Reitoria

Comunicação de Ciência

91 7575022| 96 9728546

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome