presentes de natal
A categoria de moda (roupa, sapatos e acessórios) é a mais popular para presentes de Natal (38%)

O OLX acaba de divulgar um estudo, baseado num inquérito aplicado aos seus utilizadores, no qual analisa as preferências, tendências e hábitos de consumo relativos aos presentes de Natal e, também, férias durante o período festivo, incluindo ainda uma análise ao consumo após a Black Friday.

Mais de dois terços dos consumidores refere que a pandemia alterou os seus hábitos de consumo, com maior predisposição para comprar online. Relativamente às compras de Natal, a maioria das pessoas (56%) admite ter feito as compras natalícias de forma mista, em lojas físicas e digitais. Há também 6% que opta por comprar presentes em plataformas de classificados.

A categoria de Moda (roupa, sapatos e acessórios) é a escolha de 38% na hora de comprar presentes de Natal, e a generalidade dos consumidores inquiridos (43%) admite gastar entre 50€ a 200€ em prendas. A esmagadora maioria das pessoas inquiridas (80%) vai passar o Natal em casa, mas 16% referem que, devido à pandemia, optaram por não passar o Natal com familiares.

O inquérito, que foi aplicado na plataforma de 1 a 15 de dezembro, com a participação de cerca de 7.600 pessoas, analisa ainda as tendências de consumo após a Black Friday. Apenas 34% dos inquiridos admitiram ter feito compras nesta ocasião, com a 70% a gastar, em média, até 100€. Televisores, smartphones e tablets foram os produtos mais comprados (32%).

20% planeiam gastar entre 200€ e 500€ em presentes de Natal

A maior parte dos consumidores inquiridos (43%) planeia gastar entre 50€ a 200€ nos presentes de Natal este ano. 29% planeia gastar até 50€ e 20% entre 200€ e 500€. Apenas 8% irá gastar mais de 500€.

A categoria de moda (roupa, sapatos e acessórios) é a mais popular para os presentes de Natal (38%). Seguem-se as categorias de Brinquedos (29%) e Tecnologia (21%). De forma menos representativa surgem os Cosméticos (5%), Artigos desportivos (4%) e Viagens/Experiências (4%).

54% dos consumidores vai comprar presentes apenas para a família. E 18% refere que vai oferecer prendas até 5 pessoas e 18% entre 5 a 10 pessoas. 10% dos inquiridos irá oferecer presentes a mais de 10 pessoas.

Mais de metade dos inquiridos (52%) compra presentes de Natal tanto online como fisicamente e cerca de 32% compra os presentes em centros comerciais. Há ainda 15% que compra em pequenas lojas de comércio local.

LEIA TAMBÉM: Livro de ecommerce destaca os 110 erros que as lojas “online” devem evitar a todo o custo

No que diz respeito a compras online, 22% recorre a vários sites e 6% compra apenas num único site de confiança. Há ainda 6% dos consumidores a fazer compras de Natal em sites de classificados.

Quase 60% refere que a pandemia alterou os seus hábitos de consumo. 46% dos inquiridos responde que alterou os hábitos, mas que ainda vai a centros comerciais, enquanto que 13% refere que agora compra principalmente online.

Pandemia afetou os planos para frequentar hotéis e restaurantes

A grande maioria dos inquiridos (80%) vai permanecer em casa durante a época festiva, enquanto 16% menciona visitar família e parentes. Apenas 3% refere fazer uma viagem ao estrangeiro.

67% dos inquiridos responde que a pandemia afetou os seus planos para a época festiva.

LEIA TAMBÉM: Novo livro “Marketing Digital – Conteúdos Vencedores”, um manual de boas práticas

Como consequência da pandemia durante as festividades, 22% menciona o receio de contactos sociais optando por ficar em casa e 21% a impossibilidade de viajar para o exterior. 16% indica preocupação com a família, o que impede que comemorem as festividades juntos. Para 7% dos inquiridos, a pandemia afetou os planos para frequentar hotéis e restaurantes.

Dos presentes de Natal para os hábitos da Black Friday

Quem fez compras na Black Friday gastou, em média, até 100€ (70%), seguindo-se as pessoas que gastaram entre 100€ e 500€ (21%). Apenas 6% gastou mais de 500€ e 3% mais de 1000€.

A maioria dos consumidores admitiu não ter realizado compras na Black Friday (66%). 13% aproveitou para comprar artigos que já tinha selecionado e 19% comprou espontaneamente depois de encontrar um artigo que lhe interessou.

10% dos consumidores inquiridos admite ter gasto mais dinheiro nas compras de Black Friday este ano, em comparação com 2020.

LEIA TAMBÉM: Shampô sólido: há uma nova marca nacional a entrar na cabeça dos portugueses…

Televisores, smartphones e tablets são os produtos comprados pela maior parte dos consumidores nesta ocasião (32%). Seguem-se as categorias de Roupa e Moda (23%) e Eletrodomésticos (18%).

 Sobre o Grupo OLX:

O OLX Portugal (FixeAds S.A.) foi fundado em 2007 e é especialista no desenvolvimento de plataformas online locais de fácil utilização para compra e venda de produtos e serviços na Internet. A empresa é detentora dos reconhecidos portais Standvirtual, Imovirtual e OLX.

CONTACTOS PR & PRESS:

Taylor – YoungNetwork Group

Ana Oliveira

[email protected]

935 194 471

FONTEOLX
Artigo anteriorFeira de design e decoração leva ideias do futuro à Exponor
Próximo artigoOperação Maré Negra: Prime Video revela as primeiras imagens da série Amazon
Envie-nos o seu press release através do nosso formulário de submissão e potencie a visibilidade da sua marca, empresa, ideia ou projeto. Se tiver dúvidas sobre a elaboração de uma nota à comunicação social, leia o nosso artigo "Como Fazer um Press Release".