Oficinas automóveis transformaram EXPONOR na sua capital

A 6.ª edição do Salão de Equipamentos, Serviços e Peças Auto foi a melhor de sempre. Depois dos máximos atingidos no número de expositores (254) e área ocupada (16.000), o expoMECÂNICA 2019 conseguiu mobilizar 16.035 profissionais do setor. O Salão segue assim reforçado para a edição 2020, a realizar de 17 a 19 de abril.

0
62
oficinas automoveis
As empresas espanholas estão a apostar na feira e no mercado de oficinas automóveis luso

Se pensarmos que, logo à entrada, os profissionais do 6.º Salão de Equipamentos, Serviços e Peças Auto, que terminou este domingo, na EXPONOR, tinham – de imediato – à sua disposição um lugar de estacionamento reservado, com o registo da matrícula do seu automóvel, percebe-se que estávamos perante um evento que surpreendeu, pelo detalhe, quem participou e visitou o expoMECÂNICA. De 3 a 5 de maio, o mundo das oficinas automóveis tiveram uma vez mais na Feira Internacional do Porto a sua capital.

Esta foi apenas uma das muitas ações – mais de 100 – que acontecerem ao longo dos três dias do certame. A edição deste ano registou ainda a participação de 254 empresas e entidades, distribuídas por três pavilhões (ou seja, 16 mil metros de área ocupada) e a visita de 16.035 profissionais do setor. Mas o expoMECÂNICA 2019 conseguiu muito mais, inclusive unir o setor em torno da grandiosidade e dinamismo da feira.

«Estamos no caminho certo. A qualidade da exposição está bem patente no todo e em cada um dos stands. A Kikai limitou-se a dar o exemplo e agora até nós ficamos surpreendidos com a qualidade das apresentações e a dinâmica de alguns espaços. É caso para dizer que a feira se vestiu a preceito, preenchendo as medidas de tudo e todos», refere José Manuel Costa, diretor-geral da Kikai Eventos.

Expomecânica é o momento aglutinador do mercado que tem as oficinas automóveis no núcleo

oficinas automoveis na exponorE acabou mesmo por surpreender a Create Business, a empresa que trouxe à feira a Oficina do Futuro. «Já trabalho há alguns anos na área e, pela primeira vez, vejo uma iniciativa que consegue aglutinar todos os empresários e profissionais do setor», salienta Pedro Proença, diretor comercial e de marketing da Create Business. A iniciativa Oficina 4.0, por sua vez, superou largamente as expetativas. «A cada 20 minutos, e ininterruptamente até ao fecho da feira, tivemos sempre casa cheia», refere ainda o mesmo responsável.

Quem acompanha a feira desde a primeira edição, e trabalha no mercado das oficinas automóveis, está habituado a ser positivamente surpreendido, e quem cá esteve pela primeira vez ficou, simplesmente, rendido.

As “tarimbadas” – Cometil e Domingos & Morgado – que participam no Salão desde o início, reconhecem que estamos perante a edição que alcançou «mais projeção», na opinião de Pedro Jesus da Cometil, e a «maior e mais bonita», realça José Morgado, da Domingos & Morgado. Já Paulo Pinto, delegado técnico e comercial em Portugal da Schaeffler Iberia, que este ano dinamizou o espaço expoTALKS, salienta a «linha evolutiva de continuidade a que a Kikai já nos habituou».

A Organização trabalha, edição após edição, para acrescentar valor à feira e, consequentemente, ao setor do aftermarket. «Há quem diga que é um feito inédito. E que a Kikai, com o seu modo de atuar, trouxe uma lufada de ar fresco. Faz bem e isso faz bem ao setor», refere Sónia Rodrigues, responsável comercial da feira.

Feira estratégica que alavanca negócios

oficinas automoveis na exponorEstamos perante um acontecimento que consegue congregar – num único espaço e durante três dias – todos os interessados e interesses do pós-venda nacional. Há muito que o expoMECÂNICA integra o plano comercial de muitas das empresas do pós-venda nacional, em alguns casos faz mesmo parte de estratégia para alavancar negócios.

É o caso da estreante AlecarPeças. «Vamos abrir um armazém no Norte e a presença no Salão é estratégica. Estamos muito satisfeitos com a dinâmica da feira e para o ano vamos majorar o investimento», adianta Paulo Agostinho, diretor-geral da empresa.

Também a Autozitânia está interessada em expandir o seu negócio a norte, pelo que «preparamos antecipadamente a nossa presença e aproveitamos o momento para apresentar novidades em primeira mão. A nossa presença é de extrema importância», diz Flávio Menino, diretor de marketing da Autozitânia.

Existe ainda o caso de muitas empresas, como a Cepsa, que já tem presença na região, mas quer reforçar a sua posição e encontra no expoMECÂNICA um aliado. «Viemos porque a feira é dos momentos mais importantes desta área. Estamos no sítio certo. Estão aqui reunidas todas as pessoas que interessam», refere João Madeira, responsável de negócio da Cepsa.

Espanhóis apostam no mercado de oficinas automóveis luso

Outras há, como a espanhola Aguado Automoción, para quem a feira tem «corrido sempre bem», diz José Maria Aguado, o responsável da empresa, e que, após três edições consecutivas no Salão português, resolveu abrir uma empresa no mercado luso. Este ano, esteve presente com a designação Aguado Automoción Iberia Lda..

Este interesse espanhol no setor nacional das oficinas automóveis não passou despercebido à portuguesa Motorbus, que salientou como nota positiva do evento o crescente interesse do mercado externo, sobretudo espanhol, na feira. «Percebi que estão cá muitos expositores espanhóis e também recebemos contatos interessantes de visitantes aqui no nosso stand», destaca Pedro Lebre, sócio-gerente da Motorbus.

Em ano de estreia como expositor, mas desde sempre presente no certame a apoiar os seus distribuidores, a Liqui Moly salienta, na opinião do responsável de marketing, Cláudio Delicado, a «evolução da feira», inclusivamente na componente de atividades paralelas.

O mesmo sucede com a Caetano Parts, que participou no Salão há três anos e voltou nesta edição. «É uma montra do aftermarket. Melhorou muito a imagem e a dinâmica dos stands», reforça Lourenço Marques, responsável comercial da empresa.

A Bolas destaca como nota dominante do primeiro dia da feira o interesse dos futuros profissionais e a representação de escolas. «Registamos o interesse, muito, em aprenderem», refere Pedro Carvalho, gestor de produto da Bolas, que adicionou, num balanço mais global, o crescimento da feira, o investimento na imagem dos stands e a qualificação dos visitantes.

Um balanço em todo semelhante ao da Civiparts, sendo que, Norberto Reis, gestor de vendas, acrescenta ainda «nota alta» à dinâmica e organização do acontecimento. Já a Filinto Mota considera a sua estreia no Salão da Kikai «um enorme sucesso, a repetir para o ano, seguramente», diz Vasco Silva, diretor de unidade. O mesmo responsável mostrou-se ainda agradado com a presença e o interesse dos futuros profissionais. «Ficamos com o contacto de dois estudantes para estagiarem conosco», revelou.

A Kikai Eventos vê assim reforçada a posição do Salão de Equipamentos, Serviços e Peças Auto e segue para a edição 2020, cuja data está fixada de 17 a 19 de abril. E seguramente na agenda das oficinas automóveis em Portugal.

Informações adicionais para a Imprensa:
Sandra Lima ● 916921689 ● Alberto Moreira ● 937033588
LUPA.Comunicação & Assessoria de Imprensa
lupacomunicacaoeassessoria@gmail.com ● info@kikai.pt

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome