Comunidade LGBTQIAP+ em Portugal
Comunidade LGBTQIAP+ em Portugal sofre diariamente com o preconceito

No mês de maio, uma data muito importante que toda a gente deve anotar é o dia 17, quando se celebra a luta contra a homofobia, transfobia e bifobia. A comunidade LGBTQIAP+ em Portugal sofre diariamente com o preconceito, agressões e ofensas da população, para além da luta pela conquista de seus direitos, que são pouco ouvidos.

Segundo dados da ILGA Portugal, em 2019 foram registadas 171 queixas de discriminação ou violência com base na orientação sexual, identidade ou expressão de género no ano do inquérito. Destes, o registo mais elevado, cerca de 45%, foram insultos ou ameaças verbais ou escritas e 8% foram tentativas ou agressões físicas. O registo das agressões como causas dos óbitos, embora ainda aconteça, é muito mais raro, especialmente se compararmos com a realidade brasileira, por exemplo

O ranking da empresa de turismo Park Sleep Fly “Cidades Mais Gay Friendly da Europa”, Portugal consagra-se no topo. Este ranking analisa vários fatores, como a estratégia nacional de não-discriminação e, entre outros, a variedade de bares e vida noturna da comunidade LGBTQIAP+ em Portugal e o preço médio por noite nos alojamentos turísticos. Lisboa obteve uma pontuação de 7,35 valores em 10, enquanto a cidade do Porto foi pontuada com 6,98.

Comunidade LGBTQIAP+ em Portugal: alguns mitos…

No meio de todos os preconceitos contra a comunidade, muitos mitos e fake news foram criados para diminuí-los ou humilhá-los. Eis alguns desses mitos:

  1. Ser LGBT é uma doença: muitos argumentam que a homossexualidade é uma enfermidade, descrevendo-a como doença mental ou, em alguns casos, uma patologia transmissível. Em 1990, a OMS (Organização Mundial da Saúde) se posicionou contra essa questão, entendendo que a homossexualidade é uma variação natural da sexualidade humana.
  1. Pais do mesmo sexo prejudicam as crianças: há quem tenha fortes opiniões religiosas e políticas, e acreditam que os pais do mesmo sexo podem prejudicar o crescimento da criança, promovendo a ideia de que apenas o “tradicional” é correto e saudável. No entanto, nenhuma investigação científica demonstrou que os casais do mesmo sexo são mais ou menos prejudiciais para as crianças do que os casais heterossexuais.
  1. Ninguém nasce gay: os ativistas opõem-se profundamente à concessão de proteções “especiais” dos direitos civis à comunidade gay, semelhantes às concedidas aos negros e a outras minorias. Assim, as forças contrárias ao movimento insistem que a orientação sexual é um comportamento que pode ser mudado, não um traço imutável. Mas, embora a ciência moderna não possa afirmar quais são as causas da orientação sexual, muitos estudos sugerem que ela é o resultado de forças biológicas e ambientais, não uma “escolha” pessoal.

Segundo Maicon Paiva, fundador e especialista da Casa de Apoio Espaço Recomeçar, toda a população deve aprender a conviver em harmonia com a comunidade LGBTQIAP+ em Portugal, para que a sociedade evolua. “Quando colocamos a vida em primeiro lugar, fica mais fácil entender por que o respeito e o amor são tão necessários no nosso cotidiano”, diz Maicon Paiva.

LEIA TAMBÉM: Dating app é uma Quycky e é a nova plataforma de sexo portuguesa

Maicon Paiva destaca que serviços como Limpeza Espiritual e Consulta Espiritual são essenciais para essa mudança interior. “Para a pessoa que procura viver em paz e harmonia com a comunidade, a Limpeza Espiritual é uma ótima para acabar com as cargas negativas que nos impactam. Compreender que todas as vidas têm o mesmo valor, independentemente das experiências, é o que mais importa.” O especialista oferece algumas dicas para viver em total harmonia com a comunidade.

Algumas dicas preciosas…

  1. Oiça e informe-se: esteja aberto a ouvir e aprender com o que eles têm a dizer. Esse é o primeiro passo para tu entenderes melhor como podes apoiar uma luta que é de toda a gente. Além disso, pesquise na internet materiais com informações sobre a história da luta pelos direitos da comunidade LGBTQIA+ em Portugal e no mundo, garantidos por lei e como ajudar.
  • Inclua artistas da comunidade LGBTQIA+ nas tuas listas de filmes/livros/músicas: muitas vezes, sair “da bolha” é tudo o que é preciso para ter uma visão mais ampla da vida e respeitar cada vez mais a riqueza da diversidade para todas as existências. Através de todo e qualquer tipo de arte, viva experiências narradas por LGBTQIA+ para aprender através da empatia. Plataformas como Spotify, YouTube e Netflix têm indicações de playlists especiais dentro dessa agenda.
  • Apoie ONG e iniciativas pelos direitos LGBTQIA+: são ONG que realizam trabalho voluntário para disseminar informações, promover assistência psicológica e jurídica, qualificar a comunidade profissionalmente, entre outras ações. Pense nas competências que já tens e veja como podes contribuir com o seu tempo.
  • Combata a LGBTfobia: depois dessas dicas, fica mais fácil identificar atitudes LGBTfóbicas. Fale contra elas e, se necessário, denuncie-as. Ao entender melhor o que prejudica a existência de uma pessoa trans, por exemplo, tu saberás melhor quando e como intervir para construir espaços cada vez mais acolhedores para todos.

Sobre o Espaço Recomeçar:

Desde 2002, o Espaço Recomeçar ajuda as pessoas através do Trabalho Espiritual. O fundador, Maicon Paiva, é um renomado espírita paulista e sentiu a necessidade de ajudar as pessoas em suas vidas. Seguindo a tradição da leitura de Búzios e Tarot, ele e sua equipe auxiliam na Limpeza Espiritual e Ligações Amorosas. Nos anos de trabalho, o Espaço Recomeçar já ajudou mais de 35 mil pessoas e está aberto para recebê-lo! Além de atuar no Brasil, Maicon Paiva também atende pessoas de diversos países ao redor do mundo, como Portugal e Espanha. Tudo de forma confiável, online e com a privacidade necessária para o consulente.

Para informações para Imprensa:

Queissada Comunicação

Agência de RP & Digital Full Service

Pedro Amaral – [email protected] – (11) 994602979

Laíse Marcondes – [email protected] – (12) 99674 5960

Juliana Queissada – [email protected] – (11) 99813 6291

FONTECasa de Apoio Espaço Recomeçar
Artigo anterior“Menções especiais” para dois projetos portugueses nos prémios #MakeEUBlue da EU4Ocean Coalition
Próximo artigoSemana de 4 dias de trabalho, uma nova realidade para os colaboradores da Evolve
Press Release
Envie-nos o seu press release através do nosso formulário de submissão e potencie a visibilidade da sua marca, empresa, ideia ou projeto. Se tiver dúvidas sobre a elaboração de uma nota à comunicação social, leia o nosso artigo "Como Fazer um Press Release".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome