O 24.º cartaz MEO Sudoeste tem novas datas impressas, para as saudades que já apertam: o regresso à Herdade da Casa Branca na Zambujeira do Mar está marcado para os dias 3 a 7 de agosto de 2021, com abertura do campismo no dia 31 de julho.

o MEO Sudoeste volta a ser a casa de milhares de festivaleiros, que se vão juntar para celebrar a música, a amizade e as noites de verão. Depois das reconfirmações de Bad Bunny, Major Lazer, Meduza, ProfJam e Bispo, que desde logo renovaram o compromisso com os fãs do MEO Sudoeste para as novas datas da 24ª edição em 2021, hoje, dia em que começariam os concertos no recinto, há mais novidades a anunciar para o Palco MEO: Ozuna reconfirmou também que atuará no MEO Sudoeste no dia 6 de agosto, Timmy Trumpet vai assegurar um fim de festa em grande no dia 7 de agosto, Deejay Telio atua dia 5 de agosto e Melim no dia 6 de agosto.

Para além das novidades de cartaz, para assinalar o dia em que a Herdade da Casa Branca abriria as portas para servir de casa, durante uma semana, a milhares de festivaleiros, o MEO Sudoeste não se esquece da sua Tribo e oferece a todos um showcase de Bispo e um de ProfJam, para através de livestream no Facebook e Youtube e em antena da Mega Hits.

O cartaz MEO Sudoeste… de A a Z

Major Lazer são garantia de melhor cartaz MEO Sudoeste

Major lazer no dia 5 de agosto do cartaz meo sudoeste

Hoje, os Major Lazer são uns dos gigantes da música eletrónica a nível mundial. Tudo começou em 2008, quando os produtores Diplo e Switch começaram a trabalhar juntos. Os dois conheceram-se por terem trabalhado no primeiro disco da cantora M.I.A. e, depois, também com Santigold.

A cumplicidade era evidente e tinha de ser colocada ao serviço da música e dos outros. O primeiro disco da dupla saiu em 2009. “Guns Don’t Kill People… Lazers Do” já tinha alguns dos elementos mais característicos da banda, como a eletrónica cativante e o reggae sempre à espreita.

O segundo disco, “Free The Universe”, editado em 2013, continuava nessa senda de sucesso e incluía as participações de algumas estrelas da música de dança como Vybz Kartel, Busy Signal, Mr. Vegas, Nina Sky, Amanda Black, entre outros. O single “Hold the Line” explodiu em todo o mundo, fazendo sucesso em qualquer pista de dança.

Em 2012 juntaram-se a Snoop Dogg e editaram o tema “La La La” – a colaboração também se estendeu à produção do disco “Reincarnated” de Snoop Lion, a persona de Snoop Dogg. Nessa altura houve uma mudança no projeto: Switch saiu e entraram Jillionaire e Walshy Fire (Jillionaire viria a sair neste ano de 2019, dando lugar a Ape Drums).

Em 2015 editaram o seu terceiro disco: “Peace Is The Mission”. Poucos meses depois voltariam a causar estrondoso com o lançamento de mais um tema com sucesso à escala planetária: “Cold Water”, com a participação de Justin Bieber e MØ. E sucessos como esse foram aparecendo naturalmente, uns atrás dos outros, assim como as colaborações com estrelas como Beyoncé, Nicki Minaj e Ariana Grande.

Entretanto, continua a espera por “Lazerism”, o quarto disco dos Major Lazer.  “Make It Hot”, com Anitta, e com “Que Calor”, com J Balvin e El Alfa, são dois dos temas já conhecidos e, também, dois dos temas mais esperados pelo público português no concerto remarcado para dia 5 de agosto de 2021. Até subirem ao Palco MEO, o cartaz MEO Sudoeste exibe o nome dos Major Lazer com muito orgulho.

Veja também: Cartaz do Super Bock Super Rock 2021 conta 14 nomes confirmados

Um flow ProfJam para o festival

Profjam  confirmado no sudoeste 2021

ProfJam tem vindo a desenhar um dos mais personalizados e interessantes percursos artísticos no hip hop nacional, apostando numa postura e uma sonoridade que o colocam num campeonato que é só seu.

O rapper começou por dar nas vistas em circuitos paralelos como a Liga Knock Out e estreou-se em 2014 com a mixtapeThe Big Banger Theory”. “Mixtakes” foi o passo seguinte, um registo destacado como um dos melhores de 2016 e que incluía outro clássico: “Queq Queres”.

Em 2018, lançou os temas “Yabba” e “Gwapo” (com a participação de Yuzi, um dos artistas da sua Think Music) e ambos alcançaram números bem expressivos nas plataformas de streaming.

A Internet tem, aliás, sido um dos principais terrenos da afirmação da arte de ProfJam: “Xamã” e “Mortalhas”, temas lançados em 2017, atingiram milhões de visualizações no YouTube.

Com uma escrita intrincada, flows complexos e produções que traduzem o presente e o futuro, ProfJam tem cultivado um estilo muito próprio que se tem feito notar tanto nos seus sucessivos lançamentos, como nos palcos que vai pisando de norte a sul do país.

No single “Água de Coco”, ProfJam volta a surpreender com uma escrita cada vez mais elaborada, plena de imaginação. “Água de Coco” foi o primeiro single do muito aguardado disco “#FFFFFF”, editado em 2019 e produzido por Lhast.

Depois do tremendo sucesso de “Água de Coco” – o vídeo já passou a impressionante marca das 12 milhões de visualizações – quaisquer dúvidas que pudessem subsistir dissiparam-se com o segundo single.

Lhast assina o beat e o gancho do refrão de “Tou Bem”, uma afirmação da felicidade e do bom caminho que ambos os artistas encontraram e agora percorrem. “#FFFFFF” tem uma história para contar, feita de cores e nuances, feita de sons e palavras, feita de flows e de segundos e terceiros significados. “Só dou à palavra o que eu vejo”, explica o rapper. E com ele, vemos todos nós.

A 24.ª edição do festival da Zambujeira do Mar continua a ser uma bela oportunidade para ficar a conhecer melhor esta história arquitetada por um dos rappers do momento. E essa oportunidade já tem nova data marcada: dia 4 de agosto de 2021, no Palco MEO. Mas há mais um nome no cartaz MEO Sudoeste a captar muitas atenções…

Bad Bunny, para não esquecer o 24.º cartaz MEO Sudoeste

Bad Bunny no cartaz meo sudoeste

Bad Bunny é um dos nomes mais fortes da música latina da atualidade. Desde que entrou em cena, em 2016, o cantor, rapper e produtor porto-riquenho está na linha da frente das novas tendências da música urbana com sabor latino. E essa sua fama começou mesmo antes da edição de um disco, o que torna o percurso deste jovem músico ainda mais impressionante.

Bad Bunny nasceu em 1994, com o nome de batismo Benito Antonio Martínez Ocasio. O pequeno Benito começou a cantar com apenas cinco anos e levou a música muito a sério desde esses primeiros momentos, recebendo, ao longo dos anos, influências de nomes como Héctor Lavoe, Vito C, Daddy Yankee e Marc Anthony.

Estudou comunicação audiovisual em Porto Rico, começou a trabalhar num supermercado e nunca desistiu de fazer a sua música, publicando essas primeiras canções na plataforma SoundCloud. Temas como “Diles”, “Soy Peor” e “Pa Ti” mostraram ao mundo que este jovem de Porto Rico vinha para deixar a sua marca e, só no ano de 2018, o seu nome aparece por quatro vezes no top de singles mais vendidos, alcançando mesmo a primeira posição com o tema “I Like It” da rapper Cardi B, também com a participação de J Balvin.

O seu disco de estreia, “X 100PRE”, também editado em 2018, alcançou o primeiro lugar na tabela de discos mais vendidos do universo latino. O sucesso comercial de Bad Bunny deve-se à sua energia contagiante e a uma abordagem eclética, capaz de misturar soul latino, pop, R&B, reggaeton e uma série de outras matizes musicais, sempre ao serviço de um largo espectro de emoções, do amor à raiva, às vezes dentro de uma mesma música. Músicas como “Mia”, com a participação de Drake e com mais de 1.000 milhões de visualizações no YouTube, asseguram um concerto inesquecível no Palco MEO, no dia 4 de agosto de 2021. Até lá, o cartaz MEO Sudoeste continuará a crescer.

Veja também: Cartaz do SUMOL SUMMER FEST mantém alinhamento e… atitude para 2021

Meduza também in the SW house

Meduza

É impossível fazer uma retrospetiva da melhor música eletrónica feita nos últimos tempos sem falar de Meduza.

Tudo começou com o encontro entre três produtores italianos. Luke Degree, Matt Madwill e Simon de Jano começaram a trabalhar juntos em 2014 com o objetivo de criar instrumentais para rap.

Depois de alguns anos de colaborações ocasionais, os três amigos decidiram tornar as coisas um pouco mais sérias quando decidiram criar este som fortemente influenciado pela música house, que batizaram como Meduza em 2018.

“Piece Of Your Heart” foi primeiro som a conquistar as pistas de dança de todo o mundo. Com a colaboração dos produtores britânicos Goodboys, a toada hipnótica desta faixa não deixou ninguém indiferente.

Os números não enganam: ultrapassaram o bilião de streams, alcançaram a dupla platina no Reino Unido, foram nomeados para um Grammy e puseram esta música house a tocar com insistência em rádios um pouco por todo o mundo. Depois de uma série de remixes bem-sucedidas para artistas como Dido e Emily Warren, os Meduza não descansaram à sombra do sucesso alcançado pelo primeiro single e quiseram mais.

O segundo single de sucesso, “Lose Control”, editado em outubro de 2019 com a colaboração de Goodboys e Becky Hill, bateu mais uma série de números impressionantes, feitos de milhões de ouvintes em todo o mundo, e consolidou este trio italiano como um dos principais fenómenos de popularidade dos últimos anos. A sua energia ao vivo é contagiante e vai poder ser sentida no Palco MEO do MEO Sudoeste, no dia 5 de agosto de 2021.

Púlpito e cartaz MEO Sudoeste com direito a Bispo

Bispo no meo sudoeste

De Mem Martins para todo o país, Bispo tem conquistado o seu espaço aos poucos, desde que em 2003 decidiu levar a música mais a sério, trabalhando para ser um dos nomes mais relevantes do hip hop português. Depois das mixtapes “Recomeço” e “Passo a Passo”, Bispo lançou “Bispoterapia” em 2014, um EP em colaboração com o produtor “Intakto”.

Um ano depois chegou esse muito aguardado primeiro álbum de originais, “Desde a Origem”, que contou com a participação de dois grandes nomes do hip hop português: Sam the Kid e Maze (Dealema). O sucesso foi inevitável, o que resultou em discos vendidos, mais concertos e novas colaborações. Uma dessas colaborações foi com Fumaxa, com quem editou o EP “Fora D’Horas”, um dos momentos altos do hip hop português no ano de 2017.

Esse registo revelava um Bispo no topo das capacidades, algo que se viria a confirmar com o lançamento de “NÓS2”, um single que rebentou nas rádios em 2018 e que servia de aperitivo para o próximo disco do rapper de Mem Martins. A música conta com a participação de Deezy (Dope Boyz) e tem um instrumental pensado por Detergente e D’aybeatz.

Hoje já não restam dúvidas de que Bispo é um dos nomes mais promissores do hip hop nacional, destacando-se pela sua lírica e por uma energia contagiante em palco, algo que vai ser sentido por todos aqueles que marcarem presença no próximo MEO Sudoeste. Bispo mantém-se fiel ao seu compromisso e atua dia 7 de agosto de 2021, no Palco MEO.

Ozuna vem para contagiar o público com os ritmos do Caribe

Ozuna no cartaz meo sudoeste 2021

Ozuna é um cantor e compositor porto-riquenho que lidera a nova geração de músicos latinos. Filho de pai dominicano e de mãe porto-riquenha, o jovem Jan Carlos cresceu imerso na diversidade cultural do Caribe, algo que viria a influenciar o seu vibrante estilo musical.

Desde cedo que desenvolveu uma paixão pela música latina urbana e com apenas 12 anos já se aventurava na composição das suas próprias músicas. Aos 23 anos as coisas começaram a ficar mais sérias e editou dois singles de sucesso tanto nas rádios como nas plataformas digitais: “Si Tu Marido No Te Quiere” e “No Quiere Enamorarse” foram as primeiras provas públicas do talento deste jovem de Porto Rico.

Em 2016 editou um remix de “No Quierse Enamorarse”, em colaboração com Daddy Yankee, e logo depois seguiu-se outra colaboração de sucesso naquele que seria um dos primeiros grandes êxitos de trap saído do mundo latino: “La Ocasión”. No verão de 2017 editou o primeiro disco, “Odisea”, que se manteve no primeiro lugar no top de discos latinos mais vendidos durante 46 semanas consecutivas.

Depois de lançar o documentário “Música sin Fronteras” no YouTube (um filme biográfico, inédito no mundo da música latina), Ozuna editou o seu segundo álbum, em agosto de 2018. “AURA” voltou a dominar os tops de mais vendidos e rendeu concertos na América Latina, nos Estados Unidos e em toda a Europa.

Apesar de a ter uma carreira com poucos anos, Ozuna conta com mais de 105 nomeações e 56 prémios no seu currículo. Já colaborou com nomes como Daddy Yankee, Luis Fonsi, Nicky Jam, DJ Snake, Cardi B, Selena Gomez, Post Malone, Snoop Dogg, Rosalía, Anitta, entre muitos outros astros do mundo da música.

Em 2019 editou digitalmente o álbum “Nibiru”, que chegou às lojas, em Portugal, em fevereiro 2020.  “Baila Baila Baila” e “Amor Genuino” são singles que provam a excelente forma de Ozuna e fazem crescer ainda mais a expectativa para a sua presença no cartaz MEO Sudoeste 2021, dia 6 de agosto no Palco MEO.

Timmy Trumpet introduz os beats australianos no cartaz MEO Sudoeste

timmy trumpet no cartaz meo sudoeste

Timmy Trumpet é um dos mais singulares nomes que podemos encontrar no DJ Mag Top 100. Com vários prémios ganhos e muitos discos vendidos, Timmy é um dos principais produtores e DJs australianos. Com apenas 13 anos, já era considerado como um melhor músico jovem do ano. Entrou para o Conservatório de Sidney e pouco depois já pertencia à All-Star Stage Band, enquanto trompetista, correndo os melhores festivais de jazz de toda a Europa.

Essa formação no jazz faz com que as suas produções fujam dos principais clichés da música de dança, conseguindo acrescentar sempre qualquer coisa a quem o ouve. A música house casa na perfeição com o seu trompete, e o som que daí resulta é um tesouro que vale a pena descobrir.

Essa singularidade garante-lhe mais de 200 concertos por ano, com passagens por eventos tão míticos como Tomorrowland, Creamfields, Parookaville, Airbeat-One, Balaton Sound, Dance Valley, entre outros. Entre os principais sucessos de Timmy Trumpet estão “Horny”, em colaboração com DJ Tenzin, ou “Freaks”, com o rapper Savage – este foi um autêntico hit na Austrália (e não só), com milhões de audições no Spotify.

O ano de 2018 foi um ano em grande para o produtor australiano, com atuações em toda a parte e colaborações com nomes como Hardwell, em “The Underground”, ou Vini Vici. Entretanto, para já, há mais uma boa notícia: Timmy vai trazer o seu trompete e as suas batidas a Portugal, na próxima edição do MEO Sudoeste, dia 7 de agosto no Palco MEO.

 Deejay Telio será um dos representantes do Hip Hop nacional no MEO Sudoeste 2021

deejay telio cartaz meo sudoeste 2021

Telio Monteiro é Deejay Telio, uma das principais revelações do hip hop feito em língua portuguesa. Responsável por alguns dos grandes hits a soar em Angola nos últimos anos, a verdade é que Deejay Telio também tem conquistado o público português com os seus irresistíveis ritmos angolanos – quem nunca ouviu falar, por exemplo, de “Que Safoda”? O seu amor pela música já é longo, mas 2015 foi o ano da verdadeira explosão para Deejay Telio.

Além de ter vencido três categorias nos Prémios Palop Stars 2015 (Revelação, Afro-House e Hit do Ano), Deejay Telio lançou ainda o álbum X-HIts, com Deedz B. Sucessos como “Não Atendo”, “Não Julgues” e “Quero Saber” tiveram (e têm) o condão de conquistar milhões de ouvintes em todo o mundo da lusofonia.

Em 2016 edita o disco “Karanganhada 2” e a qualidade volta a não deixar margem para dúvidas: quem é que consegue resistir a um tema como “Ficou”? Já conta com milhões de visualizações no YouTube.

Depois de vários singles de sucesso, como “Chora Agora”, o final do ano de 2018 editou “Happy Day”, em conjunto com Deedz B. Em 2020, editou o álbum “D’Ouro”, um registo “mais trabalhado”, mas que continua uma ‘karanganhada’, termo do crioulo cabo-verdiano que significa “festa, curtição” e define a música que Deejay Telio faz, a aumentar a expectativa para o concerto marcado para a próxima edição do MEO Sudoeste, dia 5 de agosto no Palco MEO. 

Melim: três irmãos e “good vibes”

Melim no cartaz meo sudoeste 2021

Quando se vê os irmãos Melim a tocarem juntos – com muito sucesso, diga-se -, imagina-se que eles cresceram a fazer música juntos. Essa é uma impressão errada, no entanto. Diogo e Rodrigo, que são gémeos, e Gabi só se juntaram há pouco tempo, mas a química foi tão evidente que o sucesso era algo inevitável.

Com uma mistura de reggae, pop, MPB e influências internacionais, o estilo “good vibe” e o vocal harmonioso do trio conquistou rapidamente uma legião de fãs. E esse número promete aumentar mais ainda. Depois de lançarem um belíssimo EP no final de 2017, a banda Melim editou de seguida um álbum recheado de temas para guardar na memória, com 16 músicas autorais.

Gabi e os gémeos já tiveram canções lançadas por nomes como Ivete Sangalo e Luan Santana (dueto “Zero a Dez”), a dupla Jorge e Mateus com Psirico (“Outras Flores”) e o grupo de pagode Sorriso Maroto (“Ela Não é Você”). Chegou a altura para a banda Melim marcar seu lugar na linha de frente da música brasileira.

Os irmãos têm talento, inspiração e carisma para dar e vender. E só faltava mesmo um álbum para coroar essa trajetória, que em 2018 chegou cheio de inspiração, pronto para figurar nas listas de melhores do ano. Em 2020, chega o segundo álbum de Melim, “Eu feat. Você”, que conta com a participação de convidados como Lulu Santos.

MEO Sudoeste, junta-te à Tribo!

Todos os nomes confirmados no cartaz MEO Sudoeste 2021

4 de agosto

Palco MEO – Bad Bunny, ProfJam

5 de agosto

Palco MEO – Major Lazer, Meduza, Deejay Telio

6 de agosto

Palco MEO – Ozuna, Melim

7 de agosto

Palco MEO – Bispo, Timmy Trumpet

Perguntas Frequentes

Quanto custam os bilhetes para o MEO Sudoeste?


Preço dos Bilhetes

Até 31 de dezembro 2020:
Passe Geral – 105€
Bilhete Diário – 48€

De 1 janeiro a 10 de abril :
Passe Geral – 110€
Bilhete Diário – 50€

De 11de abril a 31 de julho:
Passe Geral – 115€
Bilhete Diário – 52€

A partir de 1 de agosto:
Passe Geral – 120€
Bilhete Diário – 55€

Sabe tudo sobre o festival MEO Sudoeste em presspoint.pt.

Onde posso comprar os bilhetes para o MEO Sudoeste 2021?

meo.pt, Blueticket , Call Center informações e reservas 1820 (24 horas), ABEP, Bilheteiras da Altice Arena, rede Pagaqui, FNAC e em bilheteira.fnac.pt, Worten, Phone House, ACP, El Corte Inglês, Turismo de Lisboa, Festicket

No estrangeiro: 
Festicket
Seetickets

Pacotes de Alojamento e Serviços:
Festicket

Sabe tudo sobre o festival MEO Susoesnte em presspoint.pt.

Tenho bilhete para 2020, posso usá-lo em 2021?


Os bilhetes já adquiridos são válidos para as novas datas [dos festivais promovidos pela Música no Coração, ou seja, para além do Sumol Summer Fest, o Super Bock Super Rock e o MEO Sudoeste], não sendo necessária troca ou emissão de novo bilhete.

Contacto com a Imprensa:
Maria João Serra |  Promoção
Música no Coração
Rua Viriato, 25, 2º Esq, 1050-234 Lisboa
Tel: 351 21 010 57 00 Fax: 21 315 65 55

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome