Balcão Móvel de Macedo de Cavaleiros passa a levar medicamentos e bens essenciais à população

Solução concelhia visa suprir carências básicas, reduzindo a necessidade de deslocações. Primeiro caso positivo de COVID-19 em Macedo de Cavaleiros foi confirmado dia 18 (quarta feira).

balcao único de macedo de cavaleiros

A reativação do Balcão Móvel de Macedo de Cavaleiros, em moldes diferentes, foi decidido pelo executivo do Município, passando este a entregar bens de primeira necessidade e medicamentos nas freguesias do concelho, de modo a evitar deslocações das populações, e em especial dos grupos de risco.

Estamos convictos de que esta decisão contribui para a mitigação desta pandemia e para a defesa da saúde dos Macedenses”, assegura o presidente da autarquia, Benjamim Rodrigues, que decretou ainda o encerramento da maioria dos serviços municipais.

Balcão Móvel de Macedo de Cavaleiros visa suprir carências básicas e reduzir deslocações

A decisão foi tomada durante o fim-de-semana, após uma reunião dos dirigentes municipais que decretou medidas de contingência adicionais no concelho. “Temos noção de que a vida não pode parar, pelo que a autarquia decidiu reativar o Balcão Móvel em moldes diferentes”, diz Benjamim Rodrigues.

Enquanto se justificar face ao estado de alerta em que o País se encontra, “a carrinha do Balcão Móvel de Macedo de Cavaleiros irá levar às freguesias bens de primeira necessidade e medicamentos, conforme as necessidades apresentadas por cada munícipe. Pretendemos assim evitar deslocações dispensáveis, sobretudo em populações mais idosas e, por isso, de maior risco”, frisa.

Os munícipes interessados devem dirigir-se ao seu presidente de Junta ou União de Freguesia dando conta dos bens essenciais e medicamentos de que precisa, de forma a concentrar neste a listagem de todas as necessidades da freguesia. “As listagens serão posteriormente comunicadas à câmara que irá elaborar a rota de distribuição [do Balcão Móvel de Macedo de Cavaleiros] em função das solicitações”, adianta o autarca.

Na mesma reunião, com efeitos imediatos, e por despacho do presidente da câmara, foi decretado o encerramento total dos serviços municipais, à exceção dos considerados essenciais e indispensáveis ao normal funcionamento da Câmara Municipal, da cidade e do concelho.

Encerramento de serviços e equipamentos públicos

Foi também decidido o encerramento dos Parques Infantis Municipais e dos equipamentos Sanitários Municipais. O encerramento destas estruturas junta-se a outras já fechadas na passada semana, designadamente as Piscinas Municipais, o Pavilhão Municipal, o Estádio Municipal, o Centro Cultural e a Unidade Móvel de Saúde.

Para já, mas dependente de constante reavaliação, ficam apenas a funcionar o serviço de telefone nos Paços do Concelho, o Setor de Inclusão e Habitação Social, a Secção de Contabilidade, o Setor de Tesouraria, o Setor de Limpeza das Instalações, o Setor de Água, Saneamento e Resíduos Urbanos, o Setor de Cemitérios, o Setor de Limpeza Urbana, a Secção de Recursos Humanos e o Gabinete de Sistemas de Informação e Comunicação.

O autarca explica que, atendendo ao estado de alerta nacional, bem como as medidas diárias que o Governo da República vem tomando neste sentido, “estas medidas foram tomadas com o objetivo de salvaguardar e acautelar a saúde dos trabalhadores municipais, bem como de todos aqueles com quem diariamente contactam”.

Benjamim Rodrigues adianta que os trabalhadores em funções nos serviços essenciais, quando não seja possível o recurso ao teletrabalho, vão trabalhar em sistema de rotatividade e/ou desfasamento de horários de trabalho. Os restantes trabalhadores são temporariamente dispensados do dever de assiduidade e pontualidade, devendo evitar deslocações e o contacto social e ficando obrigados a permanecer nas suas residências para evitar focos de contágio. “Estas medidas salvaguardam o direito à totalidade das remunerações dos trabalhadores, com exceção do subsídio de refeição”, explica o presidente da autarquia. Salientando que o despacho tem efeitos imediatos e vigora por tempo indeterminado, sendo reavaliado sempre que se justifique.

Benjamim Rodrigues frisa que “vivemos tempos difíceis, em que é pedido a cada um de nós um esforço adicional para promover um isolamento social que contribua de forma ativa para o combate à propagação da Infeção por SARS-CoV-2 (COVID-19). “Estamos convictos que, com o esforço de todos, será possível mitigar este surto pandémico e, com a maior brevidade possível, regressar à normalidade das nossas vidas”.

Covid-19 em Macedo de Cavaleiros: atualização informativa

[Nota de Imprensa emanada da Câmara Municipal, no dia 19 de março]

O presidente da Câmara foi, entretanto, ao início da tarde do dia 18, contactado pela delegada de Saúde, que lhe confirmou o primeiro caso positivo de COVID-19 em Macedo de Cavaleiros. Trata-se de um cidadão de 66 anos de idade, natural da aldeia de Lagoa e emigrante em França. O indivíduo encontra-se internado no Hospital de Mirandela.

Benjamim Rodrigues salienta que a autarquia “já está em contacto com as autoridades sanitárias e de segurança” para tomar as medidas que se impõem, no sentido de preservar a saúde dos restantes habitantes. “Estão a ser monitorizadas as pessoas que terão contactado com este senhor para perceber se manifestam sintomas para o COVID-19 e, nos casos em que tal se justifique, fazer os respetivos testes”.

“Para já, a patrulha da GNR vai manter-se na aldeia, para evitar deslocações desnecessárias para Lagoa e sensibilizar as pessoas para a necessidade de promoverem o isolamento social”, disse Benjamim Rodrigues.

Paralelamente, uma viatura da Proteção Municipal vai continuar a percorrer as freguesias do concelho “fazendo alertas sonoros para os cuidados que as pessoas devem ter durante esta fase mais complexa”.

Balcão Móvel de Macedo de Cavaleiros em preparação

O autarca macedense aproveitou o momento para reforçar o alerta à população para que fique em casa. “A autarquia tem vindo a tomar uma série de medidas para mitigar este surto no nosso território, mas estas não terão qualquer efeito se não contarmos com a colaboração de todos”, frisou Benjamim Rodrigues.

Por isso, o presidente da Câmara Municipal macedense reforçou a importância de as pessoas se remeterem ao seu lar “e promoverem um isolamento social voluntário”, apelando à população para que não se desloque a Lagoa e, aqueles que ali residem, fiquem em casa. “É ainda importante recordar a necessidade de lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou com uma solução de base alcoólica, bem como a avaliação da presença de sintomas e caso os tenham que contactem a Linha SNS 24, seguindo à risca as instruções que receberem”, lembrou.

O autarca recorda também a importância de cumprir regras de etiqueta respiratória, tais como tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir, utilizar um lenço de papel ou o braço, nunca com as mãos, e deitar o lenço de papel no lixo ou lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir,

A autarquia de Macedo de Cavaleiros recorda ainda que está a ser preparada a reativação do Balcão Móvel de Macedo de Cavaleiros, que irá passar a fazer distribuição de bens alimentares e medicamentos aos munícipes que o solicitem ao seu presidente de junta ou União de Freguesia.

Para mais informações:

Helder Robalo – MSImpacto

E. [email protected] | +351 962 679 553

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome