“Startups” investem em governança corporativa para atrair investidores

O Instituto Brasileiro de Governança Corporativa ouviu executivos e sócios de 150 "startups" e "scale-ups" do país. E verteu as conclusões para um relatório, com o intuito de mostrar que a metodologia abre um mundo de possibilidades.

78
governanca corporativa
A pesquisa ouviu executivos e sócios de 150 "startups" e "scale-ups" para elaborar o relatório sobre governança corporativa

Nove, numa escala de zero a 10, é a nota média atribuída à importância da governança corporativa como fator relevante para que empresas e startups atinjam seus objetivos no mundo dos negócios. É o que mostra a pesquisa “Governança corporativa em startups e scale-ups: práticas e percepções”, elaborada pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC).

A pesquisa foi realizada entre os meses de julho e outubro de 2019, e ouviu executivos e sócios de 150 startups e scale-ups brasileiras. De acordo com os dados, nos últimos anos, a adoção das melhores práticas de Governança Corporativa tem se expandido tanto nos mercados desenvolvidos quanto em desenvolvimento, principalmente, como forma de fortalecer o modelo de gestão e o aprimoramento do processo decisório.

Se aplicar as técnicas de governança corporativa não é uma novidade para grandes empresas como Petrobras, VALE, Telefônica, TAM Linhas Aéreas e Banco Itaú, para as startups – empresas nascentes de base tecnológica, a metodologia abre um mundo de possibilidades.

Para esse tipo de empresa, aplicar a governança corporativa em suas operações permite o aumento de agilidade e de qualidade na hora de tomar decisões, e se torna uma estratégia fundamental de atração de investimentos. É o que garante o CEO da plataforma UPANGEL, Diego Rodrigues, para quem a implementação dessa medida aumenta a eficiência administrativa, gerando mais segurança para o investidor.

UPANGEL facilita transações entre investidores e empresas

A UPANGEL, plataforma eletrônica homologada pela CVM, tem objetivo de facilitar transações entre investidores e empresas, e para isso, disponibiliza o dossiê reputacional (com informações sobre crédito) e o dossiê fiscal (com dados sobre a vida financeira) das startups que integram o seu portfólio.

“Por meio da plataforma, o investidor terá acesso a diversas métricas, como CAC (Custo de Aquisição de Clientes), lucratividade, receita e despesa, ticket médio, Score e CapTable, além do dossiê reputacional. Com esses dados, eles podem acompanhar todos os indicadores da startup em que pretende investir. Isso gera muito mais credibilidade”, ressalta Diego, complementando que as informações das startups com rodadas de investimentos fechadas também ficam disponíveis na plataforma para acompanhamento.

Governança corporativa promove transparência e melhora gestão

O gerente de Pesquisa e Conteúdo do IBGC, Luiz Martha, explica que o tema da governança corporativa é visto de forma positiva pelas 150 empresas que responderam à pesquisa, sendo associada à transparência e à melhoria do modelo de gestão. “A governança também é percebida como um processo de amadurecimento gradual, ainda que haja alguns pontos a evoluir para que estejam mais bem preparadas para atingir os seus objetivos, como o grau de formalização nas relações com mentores e advisors, explica.

Já o advogado Gustavo Bugalho destaca que “através da governança corporativa há a mitigação de riscos operacional, financeiro e estratégico, tanto para a própria empresa, quanto para os sócios”.

Para o CEO da UPANGEL, essas práticas podem representar uma enorme fonte de vantagem competitiva no mercado, até mesmo para as empresas mais iniciantes. “A governança também auxilia à captação de recursos de investidores, o que muitas vezes influencia a velocidade e a consistência de seu crescimento”, finaliza.

Benefícios ao implementar a governança corporativa:

a) Confiabilidade no ambiente de negócios,
b) Resolução ágil de conflitos, se houver,
c) Preservação e priorização dos interesses da companhia,
d) Atração e canalização de um fluxo constante de investimentos.

O que é governança?
Para o IBGC, este termo significa: “Um sistema pelo qual as sociedades são dirigidas e monitoradas, envolvendo os acionistas e os cotistas, conselho de administração, diretoria, auditoria independente e conselho fiscal”.

Pilares da governança corporativa:
– Prosperidade para os sócios
– Conselho de Administração
– Gestão
– Auditoria independente
– Conselho fiscal
– Conduta e conflito de interesses

Princípios da Governança Corporativa:
– Transparência
– Prestação de contas (accountability)
– Equidade
– Responsabilidade corporativa

As principais características da “boa governança”:
– Participação
– Estado de direito
– Transparência
– Responsabilidade
– Orientação por consenso
– Igualdade e inclusividade
– Efetividade e eficiência
– Prestação de conta (accountability)

Principais ferramentas utilizadas que asseguram o controle da propriedade sobre a gestão:
– Conselho de administração
– Auditoria independente
– Conselho fiscal

Informações adicionais:
Caio Oliveira
[email protected]
Sky Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome