desafios organizacionais da gestão de pessoas

O uso de máscaras, o distanciamento físico, o isolamento voluntário se sintomático, e testes frequentes estarão provavelmente connosco durante todo o ano de 2021 e mais além. O teletrabalho e o regresso gradual aos locais de trabalho já se efetivaram em 2020 e prevê-se a sua manutenção em 2021, com os novos desafios organizacionais na gestão de pessoas daí provenientes, confirma a Seresco, empresa tecnológica especialista em processamento salarial e gestão administrativa de recursos humanos.
 
Mesmo com a vacina, as expetativas mais otimistas indicam que a mesma atingirá os 70% necessários da população no final do Outono deste ano, pelo que não podemos descuidar nos cuidados.  Neste cenário, hoje já menos assustador, sabemos que os negócios serão particularmente importantes, para que a recuperação económica ajude na recuperação social. A confiança é a chave e a solução passará pelas pessoas. A educação do que é a saúde pública deverá continuar, por isso, a ser uma chave para o sucesso.

Resposta aos grandes desafios organizacionais da gestão de pessoas deve passar pelo desenvolvimento de competências

De acordo com a Seresco, devemos perceber: Qual o papel que as empresas assumem na vida dos seus funcionários? Educar ou persuadir? A realidade é que a persuasão não é um método eficaz e a educação revela melhores resultados ao longo de décadas; quais os métodos de reestruturações inclusivas que devem ser aplicados? Sabemos que o regresso ao trabalho poderá ser em muitos casos mais complexa e exigirá maior flexibilidade de ambas partes, empresas e colaboradores; qual a abordagem neste regresso ao trabalho? Porque não deixar essa responsabilização aos colaboradores já que a maioria dos estudos indica que o desempenho em teletrabalho foi tão ou mais eficaz que o desempenho em escritório?

Leia também: A nova gestão de talentos em Recursos Humanos
 
A realidade de hoje, de 2021, diz-nos que as empresas e os departamentos de RH devem por isso reconhecer que as pessoas estão a adaptar-se, e mostrar empatia por esse esforço, sabendo que cada pessoa é diferente da outra e cada qual tem o seu ritmo. A sua integração, função e remuneração pode ser distinta e seguir os seus objetivos para a empresa.
 
Assim, o desenvolvimento de aptidões e competências críticas, confirma a Gartner em algumas análises, lidera a lista das cinco prioridades para responder aos previsíveis desafios organizacionais na gestão de pessoas, em 2021. Porém, muitos líderes de RH também darão prioridade precisamente à sua equipa e à reestruturação do trabalho, à denominada experiência do colaborador, hoje fundamental para o sucesso e retenção dos talentos. Nunca esquecendo o ajuste necessário e contínuo às contínuas mudanças nas tendências de trabalho.
 
E nós, Seresco, especialistas em RH e processamento salarial, estamos cá para ajudar as empresas nos seus objetivos de RH de 2021 e a responder aos novos desafios”, afirma a este propósito, Rita Mourinha, responsável comercial da Seresco em Portugal.

Leia também: Dicas de Recursos Humanos para preparar o regresso da sua equipa

Para mais informações contactar:

Sofia Velasco | EDC

[email protected] | Tlm: 932 101 396