cirurgia plastica
Além da cirurgia plástica, ou seja, na área não cirúrgica, houve uma maior procura pelos procedimentos de rejuvenescimento facial quando comparados com os corporais

Rinoplastias, rejuvenescimento facial, cirurgia das pálpebras, substituição de próteses aumentos mamários e de glúteos foram os procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos mais procurados durante a pandemia. O aumento da procura aconteceu em toda a tipologia da cirurgia plástica, com destaque para as rinoplastias com um crescimento de 144%. Dados revelados pela Up Clinic que demonstram uma preocupação e tendência dos portugueses para investir mais na imagem.

Na análise da Up Clinic, salienta-se ainda o crescimento na generalidade dos procedimentos minimamente invasivos ser verificado nas faixas etárias mais jovens, designadamente nas pessoas na casa dos 30 e 40 anos. E isto tanto em mulheres como em homens, tendo ainda aumentado em cerca de 15% o número de homens que recorrem a estes procedimentos sem dowtime.

«Ao invés de outras necessidades que eram mais importantes no período pré pandémico como por exemplo gastos em deslocações, na aquisição de viaturas ou ainda em férias – que não foram realizados pelo confinamento e restrições existentes – a prioridade passou mesmo a ser a própria pessoa e o seu corpo», justifica Tiago Baptista Fernandes, diretor clínico de cirurgia plástica e fundador da UP Clinic.

Cirurgia plástica: ao nível do corpo destacaram-se substituição das próteses e aumentos mamários

Ao nível da cirurgia plástica, além do aumento exponencial das rinoplastias, na face verificou-se uma elevada procura pela cirurgia periocular, rejuvenescimento das pálpebras e sobrancelhas, com um aumento de 55% nas blefaroplastias ou cirurgias das pálpebras.

No corpo, os procedimentos que se destacam comparativamente aos anos anteriores à pandemia, são as cirurgias para substituição das próteses (60%), seguidas dos aumentos mamários com ou sem lifting (40%) e o aumento de glúteos (40%).

«Analisando o perfil e as motivações dos nossos pacientes constatamos uma mudança de paradigma nas prioridades e notamos uma vontade maior das pessoas “investirem” nelas próprias. A possibilidade de poderem trabalhar em casa com a modalidade de teletrabalho e evitarem a exposição após um procedimento, principalmente na cirurgia plástica, também deverá ser considerado», conclui Tiago Baptista Fernandes.

Rejuvenescimento facial em alta

Além da cirurgia plástica, ou seja, na área não cirúrgica, houve uma maior procura pelos procedimentos de rejuvenescimento facial quando comparados com os corporais, tendência esta já completamente consolidada.

Atente-se que enquanto no período pré pandémico o rácio era de 70% de face vs 30% de corpo, durante a pandemia este rácio passou para 90% de face vs 10% de corpo relativamente aos procedimentos de medicina estética.

A utilização de máscara imposta pela pandemia, levou a que a zona do rosto mais exposta fosse a do terço superior na face, que vai que vai da raiz do cabelo até a linha da sobrancelha, e que passasse a ser vista como uma prioridade para muitos.

O procedimento que teve maior crescimento foi a Hialoestrutura, rejuvenescimento global e integral da face e pescoço, com 30% de aumento. Os tratamentos da zona periocular aumentaram cerca de 20% onde as olheiras e a pálpebras foram as principais preocupações.

Ainda extravasando o campo da cirurgia plástica, «outra tendência também já consolidada – e fruto do conceito praticado Up Clinic – foi a maior preocupação com a abordagem integrada e holística da face, pescoço e decote ao invés da correção de pequenos problemas isolados o que naturalmente permite alcançar melhores e mais duradouros resultados», acrescenta Vítor Figueiredo, médico de medicina estética e fundador da UP Clinic.

Devido à menor exposição solar houve uma estabilização dos peelings e lasers efetuados, tendo sido largamente compensados pelo aumento dos tratamentos com injetáveis e fios, respetivamente na face e pescoço. Neste sentido, a melhoria da qualidade da pele também representou uma importante motivação com um aumento de 20% na procura dos tratamentos com este propósito.

Sobre a Up Clinic:
A Up Clinic apresenta-se com um novo conceito de saúde integrado, focado em aumentar a autoestima e em promover o bem-estar físico, psicológico e social através de procedimentos corretivos e preventivos para atingir e manter o bem-estar; com a adoção de estilos de vida saudáveis. Este conceito de saúde nasceu na Cirurgia Plástica e Medicina Estética, mas guiado pela inovação que marca o seu ADN, juntou o Smart-aging, a Nutrição, a Ginecologia, os mais avançados equipamentos da indústria e a atividade física de modo a prestar uma experiência de saúde integrada baseada no desenvolvimento de um estado completo de bem-estar físico, psíquico e social.

Para mais informações:
Ana Santos
[email protected]
96 713 41 68
Rita Moreira
[email protected]
96 713 41 68

FONTEUp Clinic
Artigo anterior21 Day Challenge: a nova rotina de treino da Heavy Duty Beauty
Próximo artigoData Protection Officers: Formação responde aos desafios que se perspetivam para 2022
Press Release
Envie-nos o seu press release através do nosso formulário de submissão e potencie a visibilidade da sua marca, empresa, ideia ou projeto. Se tiver dúvidas sobre a elaboração de uma nota à comunicação social, leia o nosso artigo "Como Fazer um Press Release".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome