castro laboreiro
Castro Laboreiro apresenta um enorme valor arquitetónico e uma paisagem natural de tirar o fôlego

Castro Laboreiro dedica um dia à promoção dos cogumelos através de uma caminhada. A ação acontece no próximo dia 19 de outubro, pelas 09h30, e será orientada por um biólogo que proporcionará a todos os participantes um workshop, durante o qual dará a conhecer as diferentes espécies de cogumelos existentes na região, bem como conselhos sobre a apanha deste produto gastronómico de qualidade.

A atividade é promovida pelo polo da Biblioteca Municipal em Castro Laboreiro e acontece em virtude do projeto “Castros de leitura”, um projeto que pretende desenvolver naquele espaço – e na aldeia – diversas atividades ao longo do ano, de forma a mobilizar a sociedade para a importância do património e da cultura castreja e incentivando a participação da comunidade local.

O ponto de encontro da iniciativa será na Biblioteca localidade. A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição obrigatória, até ao dia 11 de outubro, para o e-mail [email protected] ou através do telefone 251 410 060/251 465 040.

Projeto quer envolver residentes de Castro Laboreiro e turistas

Localizada no Parque Nacional da Peneda-Gerês, Castro Laboreiro apresenta um enorme valor arquitetónico e uma paisagem natural de tirar o fôlego. Desde sempre que os castrejos defendem os seus costumes e tradições e a necessidade de transparecer estes valores à comunidade prevalece.

“Castros de leitura” pretende assim, envolver não só a comunidade local, mas todos os turistas que passam pela aldeia e que se deslumbram com a sua beleza natural, mas também com a simplicidade dos castrejos.

A próxima atividade da iniciativa é a Rota Aromática, que propõe igualmente uma caminhada e a elaboração de um ervário de plantas aromáticas de Castro Laboreiro. Decorrerá no dia 21 de março de 2020, e terá a Biblioteca de Castro Laboreiro como epicentro.

Um dos mais ricos patrimónios pré-históricos do país

Castro Laboreiro pertence ao concelho de Melgaço e situa-se no Parque Nacional da Peneda-Gerês. Possui um dos mais ricos patrimónios pré-históricos do país, que reúne gravuras e pinturas rupestres, 120 dólmenes (datados de há 5.000 anos) e cistas (monumentos megalíticos funerários).

Esta aldeia possui um património histórico e arquitetónico de grande riqueza, destacando-se um tipo próprio de construções castrejas existentes na zona: o Castelo de Castro Laboreiro – classificado como monumento nacional; a Igreja Matriz; o Pelourinho, datado do século XVI, classificado como imóvel de interesse público; igrejas medievais; os fornos comunitários; os espigueiros; e os moinhos.

Situada no extremo Norte do Alto Minho e de Portugal, localizada no cimo da montanha, a mais de mil metros de altitude, levou a que os castrejos defendessem os seus costumes e tradições de todas as influências estranhas, que ainda hoje persistem.

Castro Laboreiro, uma das maravilhas de Portugal

Uma dessas tradições é a das inverneiras e das brandas. Em meados de dezembro, com a chegada do frio e dos nevões, as populações de Castro Laboreiro pegam nas suas roupas, utensílios caseiros e de lavoura, e, ‘tangendo o gado, migram em massa para os vales, onde possuem uma segunda casa e uma segunda aldeia.’ (Rocha, 1993, p. 127). E ficam nas Inverneiras, abrigados do frio, até meados de março.

No Núcleo Museológico de Castro Laboreiro é possível conhecer os hábitos, costumes e tradições das gentes da terra. A Terra das ‘viúvas dos vivos’, nome a que os seus habitantes davam às mulheres cujos maridos, filhos e netos emigravam em busca de condições de vida melhores.

É uma região de grande beleza, serpenteada pelo rio Laboreiro, que é atravessado por inúmeras pontes representativas das épocas romana ou medieval, das quais sobressaem a Ponte da Dorna, a Ponte da Capela, a Ponte Nova ou da Cava Velha e a Ponte Velha.

Castro Laboreiro é também conhecido pelo seu fumeiro e enchidos, confecionados de forma tradicional, por mãos hábeis e com o saber de anos e anos.

O guardião desta localidade é o Cão de Castro Laboreiro, que defende o gado do grande predador, o Lobo Ibérico, conhecido pela sua rusticidade, caráter e nobreza desde tempos idos.

Recorde-se que Castro Laboreiro foi finalista nas 7 Maravilhas de Portugal – Aldeias e foi distinguida com o Prémio 5 estrelas, na categoria ‘Aldeias e Vilas’, no âmbito do concurso ‘Portugal Cinco Estrelas’ 2018.




MELGAÇO: O destino de natureza mais radical de Portugal

Assessoria de Imprensa:
Sara Pereira | E. [email protected] | T. 969 290 280

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome