Os profissionais das áreas de Diagnóstico e Terapêutica lamentam, mais uma vez, terem sido esquecidos pela Direção Geral de Saúde no comunicado do número de profissionais infetados, realçando a discriminação negativa gritante a que, uma vez mais, foram sujeitos. Para o Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica (STSS), os profissionais têm o direito de saber estes dados e não de serem tratados comos os outros. De fora dos dados comunicados, pelo Secretário de Estado da Saúde, ontem, em conferência de imprensa, ficou o número de TSDT infetados, cerca de 30% dos profissionais de saúde que não se sabe quem são e isso é lamentável.

Omissão do número de TSDT infetados coloca em causa a representação e defesa da classe

“Uma vez mais, não foi revelado, o número de TSDT infetados, realidade que temos o direito de saber, até porque, enquanto legítimos representantes destes profissionais, gostaríamos de saber se existe, por parte do Ministério da Saúde, alguma relutância em fazê-lo por ser um número percentualmente elevado, pois, por lapso não será com certeza, uma vez que, desde o início da pandemia,  estamos a solicitar divulgação pública do número de TSDT infetados” reforça o presidente do STSS, Luís Dupont. Salientando, “ficamos estupefactos pelo ocorrido, hoje, na conferência de imprensa realizada no Ministério da Saúde, que contou com a participação do Secretário de Estado da Saúde e da Diretora Geral da Saúde, uma vez que, apesar dos pedidos que temos efetuado, fomos de novo confrontados com a não divulgação do número de TSDT infetados pelo SARS-COV-2”.

Lamentando que o Ministério da Saúde não trate de forma igual todos os profissionais de saúde, na presente crise pandémica, assim como no passado, a estrutura representativa do setor solicitou nova reunião com Marta Temido, e pondera, caso se mantenha a ausência de esclarecimento de dados, avançar com um pedido de audiência urgente, ao Primeiro-Ministro, para expor a indignação pelo contínuo desrespeito por este grupo profissional, e pelo facto do Ministério da Saúde nunca ter dado resposta a nenhum dos pedidos de esclarecimento a este grupo profissional, que convém salientar, é, também, imprescindível na prestação de cuidados de Saúde.

Para mais informações

Teresa Juncal Pires | 910 945 790 | [email protected]  

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here