neutralidade carbónica

Refletir e encontrar soluções para dar resposta aos desafios ambientais das empresas foi um dos desafios lançados aos alunos da Universidade de Aveiro pela AEGIA – Associação de Engenharia e Gestão Industrial de Aveiro, no âmbito da 3ª edição do “Green Engineering – For a Better Tomorrow”. A Neutralidade carbónica e economia circular foram pontos centrais entre as soluções apontadas.

Para tal, foram apresentados casos de estudo dinamizados pela Eco X, uma empresa portuguesa que desenvolve produtos sustentáveis e ecológicos através de uma tecnologia inovadora, que tem por base a Economia Circular, e pela DST Solar, uma empresa do grupo DST especializada na prestação de serviços na área da engenharia no âmbito do projeto, fornecimento, execução, operação e manutenção, no setor da energia solar. Perante as problemáticas expostas, os alunos foram desafiados a apresentarem soluções ambientalmente sustentáveis que dessem resposta às necessidades do mercado.

LEIA TAMBÉM: Crise climática: Cisco Foundation doa 100 milhões para o combate

O mote estava lançado e as premissas do desafio centravam-se em encontrar soluções que permitissem contribuir para uma economia mais circular – nomeadamente, através da otimização de processos e tecnologias de transformação de óleos alimentares usados em detergentes ecológicos, no local de produção – e para a neutralidade carbónica e transição energética da nossa economia – nomeadamente, dando resposta à nova legislação que obriga a que todos os edifícios, a partir de 1 de janeiro de 2021, garantam que 50% dos consumos de energia são supridos por fontes renováveis.

Depois de analisadas as propostas dos participantes por um painel de jurados foram selecionadas duas equipas vencedoras, uma por cada caso de estudo. Das equipas premiadas faziam parte João Piçarra, Francisco Almeida, Luís Machado e Gonçalo Ramos e Elisa Costa, Jorge Monteiro, Tomás Courela e Vasco Silva. Do painel de jurados fizeram parte a Essência do Ambiente, a Universidade de Aveiro, a EcoX e a DST Solar.

Consciencializar para o nosso impacto no planeta, visando a neutralidade carbónica

Mas os desafios da 3ª edição do “Green Engineering – For a Better Tomorrow” não ficaram por aqui. Durante uma semana, os participantes foram desafiados a participar num conjunto de ações, que decorreram em diferentes plataformas digitais e que tinham como propósito demonstrar como podemos diminuir a nossa Pegada Ecológica com pequenas mudanças de atitude no nosso dia a dia. Porque apesar de Portugal apresentar a 6.ª pegada ambiental mais baixa entre os países da União Europeia, para a AEGIA estes valores ainda são superiores à capacidade do planeta e, por isso, é fundamental sensibilizar para a importância das práticas sustentáveis e ecológicas, quer a nível pessoal quer empresarial, para a construção de um mundo equilibrado.

Houve ainda espaço para uma reflexão sobre a “sustentabilidade a nível industrial” que contou com a contribuição de Susana Lucas, Engenheira para a Sustentabilidade e Bem-Estar e criadora do Blog “SEI by Susana”.

LEITA TAMBÉM: As alterações climáticas ameaçam o Oceano profundo do Atlântico Norte

Para mais informações

Inês Costa | 962 258 278 | [email protected]

FONTEEssência do Ambiente
Artigo anteriorEmbalagens comestíveis: equipa da UC cria alternativa sustentável ao plástico a partir de resíduos da indústria agroalimentar
Próximo artigoClube de Produtores Continente compra mais de 365 milhões de euros à produção nacional
Envie-nos o seu press release através do nosso formulário de submissão e potencie a visibilidade da sua marca, empresa, ideia ou projeto. Se tiver dúvidas sobre a elaboração de uma nota à comunicação social, leia o nosso artigo "Como Fazer um Press Release".