investimento sustentável

No universo dos investimentos, as aplicações em fundos que se preocupam com questões sustentáveis, são cada vez mais consideradas pelos investidores. O termo ESG, sigla em inglês para Environmental, Social and Governance ou ASG, Ambiental, Social e de Gestão, são fundos verdes que reúnem características sociais, ambientais e de gestão que, além do retorno financeiro, materializam um investimento sustentável.

Já conhecido no exterior, em países da Europa e nos Estados Unidos, os investimentos sustentáveis estão a ganhar espaço também no Brasil. Segundo dados da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), de junho, os fundos de ações sustentáveis somaram R$ 543,4 milhões em património, um crescimento de 29% em relação ao mesmo mês no ano passado.

Relação de um fundo com a sociedade, ambiente e recursos humanos, são os pressupostos de um investimento sustentável

Para o investimento ser considerado ESG, a empresa deve adotar uma série de medidas que contribuam com para a sociedade e o meio ambiente. Portanto, é importante avaliar se a instituição se preocupa com a emissão de carbono, uso de recursos naturais, alterações climática, entre outros. Além disso, é preciso verificar se a empresa oferece condições dignas de trabalho e tem um bom relacionamento com a comunidade.

Leia também: Economia circular será um dos temas em foco na Feira “Empack and Transport & Logistics”

De acordo com Breno Andrade, assessor de investimentos da Monte Bravo – escritório de Assessoria de investimentos credenciado à XP Investimentos – para fazer aplicações em companhias que com responsabilidade social e ambiental, é necessário observar alguns critérios.

É possível encontrar empresas que atendem aos critérios ESG na bolsa de valores. O investidor deve analisar os indicadores de sustentabilidade como o Índice de Sustentabilidade Empresarial, o índice de Carbono Eficiente e o Índice de Governança Corporativa. Além dos benefícios financeiros, os investimentos sustentáveis podem impactar de forma positiva a sociedade e o meio ambiente no futuro”, afirma Andrade.

Como forma de minimizar os riscos e potencializar o retorno dos investimentos, as aplicações em ESG podem ser uma alternativa para diversificação na carteira. Empresas que se preocupam com valores ambientais, trabalhistas e sociais, são mais valorizadas e podem ter bons resultados financeiros, além de contribuir para um futuro mais sustentável.

Para mais informações:

Michelle Laboissiere – Assessoria de Imprensa
[email protected] | (12) 98213-0052 | (12) 99135-9632 | (12) 3911-2393