Investimento brasileiro no imobiliário português continua a crescer

A RE/MAX fechou o ano de 2018 com um volume de transações na ordem dos 4,36 mil milhões de euros - um crescimento de 17% em volume de negócios e de 9% no volume total de transações. Portugueses representam 84% das transações e, no investimento internacional, os brasileiros lideram.

0
271
investimento brasileiro em Portugal
O investimento brasileiro representa quase 5% e continua a crescer no setor imobiliário

A RE/MAX, a maior imobiliária a operar em Portugal, com um total de 312 agências, fechou o ano de 2018 com um volume de transações na ordem dos 4,36 mil milhões de euros, relativos a 62.287 transações, 79% das quais de compra e venda de imóveis. A RE/MAX termina assim o ano com um crescimento de 9% no volume total de transações e de 17% em volume de negócios. Numa altura em que o setor imobiliário português continua com uma enorme vitalidade. São os portugueses quem mais estão a adquirir ou a arrendar casa. Os clientes nacionais representaram 84% das transações da RE/MAX. Não obstante, o investimento brasileiro continuar a crescer.

Investimento brasileiro volta a destacar-se em 2019

Volume de negócios da REMAX em 2018O investimento brasileiro em imobiliário, no território português é, pelo segundo ano consecutivo, o mais expressivo no contexto do investimento externo. Recorde-se que os líderes em 2016 eram os franceses.

No que concerne aos investidores estrangeiros (16% do número de transações), em evidência estiveram novamente os clientes de origem brasileira, que em 2017 tinham um peso nas transações de 3% e, este ano, já representam 4,67%. Seguem-se outras nacionalidades como franceses (1,81%), a ingleses (1,03%) e chineses (0,85%).

Outro dos destaques de 2018 é o incremento na ordem dos 21,5% no número de agentes RE/MAX em atividade, passando de 6.126, em 2017, para um total de 7.443 no ano passado. “2018 foi mais um ano determinante para o setor imobiliário português e para a RE/MAX como líder de mercado. Além da vitalidade que representa para a economia nacional, com os portugueses a dominarem a aquisição de imóveis, destaque também para o crescimento da rede de agentes. Hoje são já 312 agências RE/MAX e 7.443 agentes, com formação no setor, que garantem uma cada vez maior especialização”, afirma Beatriz Rubio, CEO da RE/MAX

RE/MAX espera a estabilização dos preços

Para 2019, a responsável acredita que há indicadores que impulsionarão o setor e destaca“a estabilização de preços, maior tranquilidade para o setor e bom mercado para trabalhar a mediação.” Acrescenta também “que o poder económico das famílias portuguesas deverá continuar a mostrar sinais de crescimento, os preços do setor deverão estabilizar e a adesão e concessão de crédito à habitação manter-se-ão inalterados.”

Apartamentos T2, T3 e T1 em Lisboa, Sintra e Oeiras lideram

Na análise a 2018, os dados RE/MAX mostram ainda que a tipologia de imóvel mais escolhida por clientes em território nacional continua a ser os apartamentos, representando 62% do volume de transações imobiliárias efetuadas. As tipologias que mais se destacaram foram as de três, quatro e duas assoalhadas, T2, T3 e T1 respetivamente, as preferidas de inquilinos e compradores nacionais, com 45%, 31% e 17% do total registado nesse período.

Em 2018, os terrenos foram a tipologia de imóvel que registou mais crescimento, face a 2017, registando um incremento na ordem dos 17,7 pontos percentuais, assumindo no último ano, 5% das preferências dos investidores. Por outro lado, as moradias continuam a ser a segunda tipologia favorita, a seguir aos apartamentos, tal como em igual período do ano passado.

Os concelhos de Lisboa, Sintra e Oeiras são aqueles que registaram um maior volume de transações para a RE/MAX em 2018, seguidos dos de Cascais, Almada e Porto.

Informações adicionais para a comunicação social:
Natália Sousa
Telefone: 913 663 907
Email: [email protected]
Skype: nat.pereira.sousa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome