destinos na europa

A eDreams ODIGEO, a maior companhia de viagens online da Europa e uma das maiores empresas europeias de e-commerce, publicou o seu estudo anual “A Year in Travel by eDreams ODIGEO”, no qual oferece uma visão geral das viagens no último ano, incluindo dados como os mais procurados entre destinos na Europa, a duração média das estadias e os hábitos e tendências dos viajantes.

Os eleitos entre os destinos na Europa

Entre janeiro e setembro de 2021, Paris foi o destino favorito dos viajantes portugueses – uma realidade partilhada pelo resto do mundo, já que esta foi a cidade de eleição também nos resultados globais deste estudo. O segundo destino mais popular entre os portugueses foi Ponta Delgada, que registou um crescimento de 99% em relação a 2020. O Funchal surgiu em terceiro lugar na tabela anual, tendo registado um aumento superior a 100% no número de reservas em comparação com o ano passado.

A eDreams ODIGEO percebeu também que os destinos na europa mais pesquisados pelos portugueses em 2021 foram Paris, Ponta Delgada, Londres e Funchal, o que demonstra que as reservas efetuadas não diferiram muito dos desejos iniciais dos viajantes.

Em 2021, os destinos que registaram um maior crescimento vs 2020 junto dos viajantes portugueses foram o Funchal (146%), o Porto (111%) e Ponta Delgada (99%). Já a nível internacional, as cidades de Las Vegas e Orlando, nos EUA, registaram 402% e 400% mais reservas, respetivamente, seguidas por Tirana, capital da Albânia (305%).

Tendências de viagem

A eDreams ODIGEO procurou também saber mais sobre algumas tendências de viagens do último ano, nomeadamente a duração das estadias e a antecedência das reservas.

As férias de curta duração foram as favoritas dos portugueses em 2021, com 47% dos viajantes nacionais a optar por viagens com duração máxima de 4 dias. 19% dos viajantes escolheu viagens com 5-6 dias e 23% entre 7 e 13 dias; e apenas 11% viajaram durante duas semanas ou mais.

Outro dado interessante recolhido pela agência de viagens é que se diluiu um pouco o contraste entre as reservas com antecedência e as de última hora: 30% dos portugueses inquiridos continua a marcar as suas viagens nos 15 dias anteriores à partida, mas 22% fazem-no entre 16-30 dias antes, 24% entre 31-60 dias antes, e outros 24% com mais de dois meses de antecedência. As reservas de última hora começaram a ser uma tendência em 2020, devido à pandemia e à incerteza quanto à possibilidade de viajar – e tal parece manter-se, de momento, apesar de existirem cada vez menos restrições para os viajantes.

Finalmente, é possível concluir que os portugueses escolheram viajar mais dentro do continente europeu (61%) do que dentro do próprio país (32%) ou para outros continentes (7%); e que as viagens de curta distância (95%) continuam a ultrapassar largamente as de longa distância (5%).

Relativamente à estadia em hotéis, os viajantes nacionais escolheram ficar hospedados sobretudo no próprio país, mais especificamente em Lisboa, Porto e Funchal. Já a nível global, os destinos de topo dos viajantes foram as cidades de Madrid, Barcelona e Paris.

Olhar para o futuro

A última parte do estudo da eDreams ODIGEO pretende também delinear o futuro das viagens para o próximo ano, e podemos ver que, pelo menos por agora, os portugueses parecem querer manter uma certa tendência: os destinos com mais reservas para 2022 são, de momento, Paris, Funchal, Ponta Delgada e Londres. Os destinos mais pesquisados são Paris, Londres, São Paulo e Nova Iorque, o que demonstra que os viajantes estão a recuperar, progressivamente, a confiança e começam a pensar em viagens de longa distância.

Para mais informações

Inês Barbosa

Account Manager

[email protected]

+351 910 939 846

FONTEeDreams ODIGEO
Artigo anteriorYoga facial: cinco exercícios para prevenir as rugas…
Próximo artigoPeople’s Choice Awards 2021: já votou nos seus favoritos?
Envie-nos o seu press release através do nosso formulário de submissão e potencie a visibilidade da sua marca, empresa, ideia ou projeto. Se tiver dúvidas sobre a elaboração de uma nota à comunicação social, leia o nosso artigo "Como Fazer um Press Release".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome