descontaminacao
Delox quer tornar a bio-descontaminação eficaz, rápida e acessível

É mais um projeto nascido do conhecimento que visa melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas e que transforma a ciência num negócio, com um crescimento promissor. A Delox, start-up fundada há dois anos depois de seis de investigação científica na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, foi ontem, 12 de maio, distinguida com o prémio Born from Knowledge (BfK) Awards, atribuído pela Agência Nacional de Inovação (ANI), no âmbito dos Prémios Empreendedor XXI em Portugal. Esta iniciativa, organizada pelo BPI e pela DayOne, divisão do CaixaBank especializada para empresas de tecnologia, inovação e respetivos investidores, conta com o Alto Patrocínio do Ministério da Economia e uma parceria com a ANI, uma ligação que evidencia a importância destes prémios no apoio às empresas inovadoras e empreendedoras. A promessa da Delox é tornar a bio-descontaminação eficaz, rápida e acessível num mundo cada vez mais exposto a infeções, resistência antimicrobiana ou pandemias como a que hoje vivemos.

Em Portugal, as infeções hospitalares matam sete vezes mais que os acidentes rodoviários, ao mesmo tempo que a resistência antimicrobiana é crescente. Um cenário que se deverá agravar nos próximos anos, face ao número crescente de procedimentos cirúrgicos impulsionado por populações cada vez mais envelhecidas. A esterilização é, deste modo, premente, mas os sistemas de bio-descontaminação atuais são caros, pouco acessíveis e pouco rápidos. Deste modo, aumenta significativamente a terceirização deste serviço, mas tal representa enormes custos para os sistemas de saúde e não só.

As soluções que a Delox está a desenvolver deverão começar a chegar ao mercado no próximo ano. São sistemas de bio-descontaminação eficazes, rápidos e acessíveis, compostos por um dispositivo e respetivo cartucho, que, por sua vez, contém uma formulação sólida de peróxido de hidrogénio, um biocida seguro e ecológico que se decompõe na água ou com oxigénio, não deixando resíduos. Poderão ser aplicados nos setores da Saúde, da Indústria Farmacêutica, da Indústria 4.0, da Biodefesa e do Espaço.

Além de compactos e robustos, os dispositivos são leves, característica essencial para aplicações espaciais e militares, ou para ajuda humanitária, por exemplo.

Mercado de farmácias especializadas valerá um bilião de dólares

Os primeiros mercados que a Delox está a explorar são farmácias hospitalares, farmácias especializadas em manipulação de medicamentos e laboratórios em que os ambientes estéreis são condição essencial.

A empresa estima que existam, em todo o mundo, 113 mil hospitais e laboratórios de farmácia com serviços especializados em manipulação de medicamentos, muitos dos quais nos Estados Unidos da América, o primeiro mercado que a Delox quer explorar.

Sistemas de bio-descontaminação em farmácias hospitalares, farmácias especializadas em manipulação de medicamentos e laboratórios representam um potencial de negócio de 1 bilião de dólares (cerca de 924 milhões de euros) só nos Estados Unidos. Seguem-se como mercados prioritários os países da União Europeia.

A Delox tem como principais parceiros financeiros, a Caixa Geral de Depósitos e a Hovione, através da Caixa Capital e da Hovione Capital.

Descontaminação eficaz e acessível em plena pandemia

Premiado a nível nacional e internacional, o sistema de bio-descontaminação da Delox demonstrou ser eficaz em testes de campo realizados com o Exército Português e com a empresa americana Decontamination Specialty Equipment.

Atualmente, a start-up está a codesenvolver com o Exército Português um projeto, designado REUSE, e que consiste na construção de um protótipo de uma câmara de descontaminação transportável e de uma versão desktop para uso pessoal, onde operam a tecnologia da Delox, responsável por inativar toda a carga microbiana existente nas máscaras respiratórias.

Em plena pandemia de Covid-19, em que a higienização é uma das principais medidas para evitar a propagação do vírus, esta câmara permitirá a reutilização de máscaras respiratórias pelos profissionais de saúde e cuidadores.

Empresa e tecnologia de descontaminação com um impacto muito relevante na sociedade

“A Delox combina uma série de características que justificam a atribuição do BfK. Além de envolver uma forte componente de inovação de base científica e tecnológica, é uma empresa com um impacto muito relevante na sociedade, ao promover e democratizar a acessibilidade a sistemas de bio-descontaminação, hoje, talvez mais do que nunca, percebidos como essenciais para, não só, melhorar a saúde das pessoas, mas também promover a saúde financeira dos sistemas de saúde”, explica António Bob Santos, administrador da ANI.

Por sua vez, para a Delox, “o BfK Awards e o respetivo reconhecimento por parte da ANI validam todo o percurso Ciência – Tecnologia – Mercado que temos vindo a fazer ao longo dos últimos oito anos, dois dos quais como empresa. Ademais, este prémio reveste-se de uma especial importância por ocorrer numa fase de procura de uma nova ronda de investimento, afirmando as potencialidades da Delox a novos investidores”, aponta Fadhil Musa, CEO da Delox.

Desde 2017, a ANI já premiou cerca de 30 projetos e empresas em concursos e prémios de inovação nacionais através do programa BfK. A Delox foi a distinguida entre os finalistas territoriais da 3.ª edição em Portugal dos Prémios Empreendedor XXI.

Os Prémios Empreendedor XXI destinam-se a empresas inovadoras com menos de três anos de atividade e distinguem os seus projetos em duas categorias: territorial, onde são consideradas duas regiões em Portugal e 17 em Espanha, decorrendo em paralelo nos dois países; e setorial, onde são considerados seis setores a nível ibérico, decorrendo numa fase posterior. No total, candidataram-se 993 empresas inovadoras em Portugal e Espanha.

Informações adicionais para órgãos de comunicação social:

Marlene Silva

PURE

TM. 910 520 325 | [email protected] | Skype: marlenesilva.pure  

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome