A contagem decrescente continua. O festival estará de regresso ao Ericeira Camping nos dias 3 e 4 de julho, a tempo de celebrar o início das férias de verão, no melhor ambiente, com a praia a menos de 500 metros de distância. Na 12.ª edição mantém-se a aposta no hip hop nacional e o cartaz do Sumol Summer Fest 2020 exibe já seis nomes confirmados: SAINt JHN, Piruka, NennyTrippie Redd, Julinho KSDBurna Boy.

O cartaz do Sumol Summer Fest 2020 promete…

E Julinho KSD vai cumprir!

julinho KSD no cartaz do sumol summer fest

A linha de Sintra tem sido uma boa fábrica de talentos no que ao hip hop diz respeito. Julinho KSD é um desses trunfos, afirmando-se com um dos rappers mais promissores da música portuguesa.

Começou no Instinto 26, um grupo de trap, hoje mais conhecido graças à sua orientação afrobeat. Com raízes cabo-verdianas, Julinho descobriu a magia da língua crioula quando começou a ouvir géneros como o batuco e a morna. Por essa altura rendeu-se a referências do rap crioulo, como Da Blazz, Landim e Né Jah.

Inspirado por esses nomes, o jovem rapper começou a aprimorar a sua própria linguagem e lançou o single “Hoji en sa tá vivi”, um tema que atingiu a marca poderosa de quatro milhões de visualizações no YouTube. “Sentimento Safari”, o single seguinte, elevou-o definitivamente ao estatuto de jovem estrela do hip hop – a música conta já com oito milhões de visualizações no YouTube e mais de dois milhões de plays no Spotify.

Com rimas capazes de fazer disparar qualquer alarme e com melodias à altura dessa verve, Julinho KSD garante o presente e o futuro do hip hop português. “Hoji N’Ka Ta Rola” é o novo single e mais um sucesso capaz de envolver o público presente dia 3 de julho, no Palco Sumol de mais uma edição do Sumol Summer Fest.

Trippie Redd, mais uma estrela para o cartaz do Sumol Summer Fest

trippie redd no cartaz do sumol summer fest

A estrela que vai atuar a 4 de julho no Sumol Summer Fest nasceu em 1999, em Canton, Ohio, com o nome de Michael Lamar White IV. A sua carreira no rap começou logo na adolescência, quando se aventurou a editar mixtapes e vídeos, cujo resultado despertou o interesse do público, da imprensa e também das editoras. E, por essa altura, Trippie Redd já era um nome viral, também graças a mixtapes como “Beast Mode”, “Awakening My InnerBeast” ou “A Love Letter To You”, editada em 2017 e, até então, o seu lançamento mais relevante.

A saga de sucesso continuou com a edição de “A Love Letter To You 2” e com o single “Dark Knight Dummo”, com a participação de Travis Scott – e aí o nome de Trippie Redd entrou pela primeira vez no top Hot 100 da Billboard. Em 2018 editou uma série de singles que antecipavam “Life’s a Trip”, o seu primeiro disco. Neste registo de estreia, Trippie mostrou ao mundo que é um rapper original, com uma personalidade forte e envolvente e com uma forma muito própria de dizer cada palavra.

O norte-americano também se destaca pela invejável ética de trabalho: depois de editados mais dois capítulos de “A Love Letter To You”, 3 e 4, Trippie Redd lançou um novo disco em 2019.

O título “!” é uma homenagem ao amigo XXXTentacion, que morreu em 2018, depois da edição do seu disco “?”. Este é mais um registo em que Trippie nos mostra o seu som inspirado em nomes como T- Pain, Gucci Mane e Lil Wayne, ou, menos óbvios, Kiss e Marilyn Manson, com elementos de trap e até emo rap. Em 2020, o rapper trará essa arte ao Sumol Summer Fest, dia 4 de julho, no Palco Sumol.

Burna Boy eleva afro-beat no cartaz do Sumol Summer Fest 2020

Burna Boy no cartaz do sumol summer fest

Burna Boy é um dos nomes que mais vale a pena seguir de perto no atual panorama da música vocacionada para fazer dançar. Com a sua fusão de dancehall, afro-beat e pop, este jovem nigeriano não deixa ninguém indiferente. Damini Ogulu nasceu em Lagos em 1991.

Não demorou muito até começar a fazer música, depois de descobrir o software FruityLoops. Tinha apenas dez anos de idade. Sem nunca deixar de fazer as suas batidas, Burna Boy chegou a viver em Londres, depois de se formar, mas voltou à Nigéria pouco tempo depois. E foi nessa altura que decidiu mergulhar na música do seu país, descobrindo as referências do seu pai e do seu avô – esse baú incluía muito, dancehall e afro-beat nacional. Burna Boy é o resultado desse casamento entre a cultura do seu país e a inevitável cultura americana.

Com a produção de LeriQ, Burna Boy lançou “Like To Party”, o seu primeiro sucesso. Pouco depois, em 2013, chegaria o seu primeiro disco: “L.I.F.E.”. Com as participações de Wizkid, Timaya, 2face e M.I., este primeiro registo recebeu a aclamação do público e da crítica especializada.

Em 2015 lançou o seu segundo álbum, “On a Spaceship”, também com produção de LeriQ, mostrando todo o talento de Burna Boy. Depois de uma série de singles de sucesso, como “GBA2, “Streets of Africa”, “Xoni Baje” ou “Sekkle Down”, o jovem compositor nigeriano editou o seu terceiro álbum, “Outside”.

E 2019 foi mais um ano em grande para Burna Boy. Depois de editar o seu quarto álbum, “African Giant”, foi nomeado para um Grammy na categoria “Best World Album” e ainda levou para casa o prémio BET na categoria “Best International Act” e um prémio MTV na categoria “Best African Act”.

Também em 2019, Burna Boy participou com Ed Sheeran no tema “Own It” do rapper britânico Stormzy. Está visto que Burna Boy é um dos artistas do momento e o público português vai ter a sorte de poder vê-lo ao vivo no Sumol Summer Fest, no dia 3 de julho, no Palco Sumol

Nenny, a aposta do momento

nenny no sumol summer fest 2020

Ainda com poucos meses de carreira, Nenny já causou uma espécie de terramoto no panorama da música portuguesa, conquistando fãs um pouco por todo a parte e um lugar no cartaz do Sumol Summer Fest 2020.

Marlene Fernanda Cardoso Tavares cresceu a amar a música, ouvindo um pouco de tudo, influenciada pelos seus país: funaná, batuku, kizomba, hip hop, entre outros géneros que viriam a influenciar a sua personalidade artística.

O seu primeiro single “Sushi”, editado em março de 2019, rapidamente despertou a atenção e curiosidade do público. Com a sua toada trap, o tema atingiu a dupla platina e mais de 11 milhões de visualizações no YouTube. Isso fez com que a jovem artista portuguesa chegasse, num curto espaço de tempo, à marca dos 80 mil seguidores nas suas redes sociais e desde aí não tenha parado de crescer. “Bússola”, o sucesso seguinte, atingiu a platina e a marca das 7 milhões de visualizações em apenas quatro meses. Nenny não conta parar tão cedo e continua a editar sucessos, uns atrás dos outros.

Mais recentemente, temas como ‘’On You’’, ‘’21’’ e ‘’Dona Maria’’ não deixam dúvidas quanto à sua constante evolução e à consistência do seu projeto. Referenciada pela imprensa e por vários influenciadores, Nenny foi também escolhida pela revista HighSnobiety para a sua lista de 10 Artistas Portugueses, definindo-a como a grande aposta do momento.

Este início avassalador faz com que as expectativas para ver Nenny ao vivo sejam cada vez maiores. E o sítio certo para desfrutar deste talento é o Sumol Summer Fest – dia 4 de julho, no Palco Sumol.

Piruka, o “português que vale milhões”

Da Madorna para o Mundo, André Silva vestiu-se de Piruka para se tornar numa referência do hip hop nacional.

Como o próprio nunca escondeu, Piruka nasceu num berço de ouro, mas as vicissitudes da vida fizeram-no conhecer e viver uma realidade mais crua e dura. Pode-se dizer que, com o tempo, o ouro virou lata e o rapaz da Madorna transformou essa lata numa platina bem reluzente.

“O português que vale milhões”, como já se escreveu um dia a seu propósito, mudou o panorama da música portuguesa com a edição do disco “AClara”. E a partir daí tem atingido números absolutamente impressionantes. Estamos a falar de um artista que tem mais de 220 milhões de visualizações/streams na globalidade das plataformas virtuais. Músicas como “Louco”, “Se Eu Não Acordar Amanhã”, “Salto Alto”, “Não Se Passa Nada”, “Os Meus Putos”, “Prova Dos 9”, “Impossíveis”, entre tantas outras, aparecem como autênticos hinos na boca dos seus fãs.

Piruka tem recebido um incontável número de convites e o seu nome já chegou além-fronteiras, tendo sido convidado para participar em vários projetos fora de portas, nomeadamente no Brasil.

Apesar do sucesso até ao momento, Piruka jamais se acomoda, e aparece em 2020 mais empenhado do que nunca: o objetivo é continuar a bater recordes, mas, acima de tudo, comprometer-se ainda mais com os seus fiéis seguidores. Neste momento, o rapper encontra-se a trabalhar no seu segundo álbum de originais.

A saga de sucesso continua e temas como “Louco” (feat. Bluay com produção Rusty), “Impossíveis” (com produção de Tom Enzy) e “Até Já” (com produção de Lazuli), todos eles com milhões de visualizações no YouTube, aguçam o apetite para esse novo registo. Não faltam razões para querer estar na fila da frente do concerto de Piruka, dia 3 de julho, no Palco Sumol do Sumol Summer Fest.

Cartaz do Sumol Summer Fest ganha força com SAINt JHN

Saint JHN em Portugal no sumol summer fest 2020
SAINt JHN atua dia 3, no palco Sumol

SAINt JHN é a assinatura musical de Carlos St. John, um dos rappers do momento. O jovem cresceu entre Nova Iorque e a Guiana, marcado por duas realidades bem diferentes e consciente das assimetrias sociais existentes no mundo.

Quando se apercebeu da força das palavras, já não havia volta a dar – a música era mesmo o caminho a seguir. A sua carreira arrancou com a escrita para outras vozes, como Kiesza (“Bad Thing”, “The Love”, “Piano”), Gorgon City (“Doubts”), Usher (“Crash”), entre outros que beneficiaram do talento deste jovem de Brooklyn. Esse trabalho para outros artistas foi algo que continuou a fazer ao mesmo tempo que começava a desenhar o seu próprio percurso, principalmente a partir do ano de 2016, com o lançamento de “1999” no Soundcloud.

Em poucos meses, temas como “Roses”, “Reflex”, “3 Below” e “Some Nights” mostraram que o talento de SAINt JHN era para ser levado muito a sério, tanto pelo público como pela crítica.

Em 2018 editou o single “I Heard You Got Too Litt Last Night”, um tema que antecipava a edição do seu primeiro álbum “Collection One”. Influenciado por nomes como Beenie Man e Jay-Z, SAINt JHN domina a linguagem r&b, ao mesmo tempo que se assume como uma das vozes mais originais do trap, feito nos dias de hoje, sempre com influências caribenhas. SAINt JHN diz que faz a música que quer ouvir mas os milhões de streams e os concertos em todo o lado, provam que a música que o rapper quer ouvir também agrada a multidões em todo o mundo. E o público português também vai estar sintonizado com a sensibilidade do rapper no dia 3 de julho no Palco Sumol do Sumol Summer Fest.

Já confirmados no cartaz do Sumol Summer Fest 2020:

3 de julho

Palco Sumol:
Burna Boy, Piruka, Julinho KSD, SAINt JHN

4 de julho

Palco Sumol:
Trippie Redd, Nenny

Contacto com a Imprensa:
Maria João Serra |  Promoção
Música no Coração
Rua Viriato, 25, 2º Esq, 1050-234 Lisboa
Tel: 351 21 010 57 00 Fax: 21 315 65 55

Perguntas frequentes

Quanto custam os bilhetes para o Sumol Summer Fest?

Fã Pack exclusivo FNAC – ÚLTIMAS UNIDADES
De 1 janeiro a 31 maio:
Passe de 2 dias com Camping – 50€
Passe de 2 dias sem Camping – 40€
Bilhete diário – 32€
De 1 junho a 2 julho:
Passe de 2 dias com Camping – 55€
Passe de 2 dias sem Camping – 45€
Bilhete diário – 37€
Nos dias do Festival:
Passe de 2 dias com Camping – 60€
Passe de 2 dias sem Camping – 50€
Bilhete diário – 42€

Sabe tudo sobre o cartaz do Sumol Summer Fest em presspoint.pt
 

Onde posso comprar os bilhetes para o Sumol Summer Fest?

Blueticket , Call Center informações e reservas 1820 (24 horas), ABEP, Bilheteiras da Altice Arena, rede Pagaqui, FNAC e em bilheteira.fnac.pt, Worten, Phone House, ACP, El Corte Inglês, Turismo de Lisboa,  Festicket.
Alojamento e serviços
Festicket

Sabe tudo sobre o Sumol Summer Fest em presspoint.pt
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome