Indústria de eventos

À medida que o desconfinamento avança e a indústria de eventos (re)começa a mexer, há novos remos a movimentar as águas dos espetáculos ao vivo e a ajudar à retoma de um setor que, por conta da pandemia, teve em 2020 prejuízos estimados em pelo menos 900 milhões de euros.

Um deles tem a forma de uma app, Whatsupintown de seu nome, e quer ajudar a corrente de reposição da normalidade no mercado da área. Mais do que isso: o novo recurso digital pretende ser a aplicação de referência em Portugal para quem quer estar atualizado ao minuto sobre todos os concertos, exposições, peças de teatro e demais acontecimentos culturais.

A Whatsupintown foi desenvolvida por uma agência de soluções digitais sediada no Porto, a Red Adviser, e está disponível gratuitamente desde há algumas semanas na Google Play e na Apple Store. Até ao momento, cerca de 10 mil descarregaram a app para os respetivos smartphones, em apenas um mês, ultrapassando assim as melhores expectativas dos criadores. A aplicação espera chegar aos 100 mil utilizadores no final do ano.

A entrada no mercado está a correr muito bem e o feedback é muito positivo. Os utilizadores consideram que a app é muito completa, disponibiliza informação útil e é simples e intuitiva de usar. Dizem-nos também que é uma aplicação que fazia falta neste setor e que a sua facilidade em aceder e obter informação pode ser um bom impulsionador para apoiar a cultura e gerar ainda mais público para os eventos”, nota Rita Cunha, diretora executiva da Red Adviser.

Indústria de eventos com forte adesão…

Do lado dos promotores de eventos e espetáculos portugueses, peças-chave para o sucesso da Whatsupintown, a adesão está a correr igualmente de feição, sobretudo nas últimas semanas, com o avançar do desconfinamento no domínio dos eventos e da cultura in loco (a lotação possível dos espetáculos aumentou para 75% do espaço disponível).

De acordo com Ana Santos, diretora de produto da plataforma, “nas duas últimas semanas, e apesar do período de férias, temos vindo a receber inúmeros pedidos de adesão de organizadores e até de artistas individuais, que consideram a app uma mais-valia para divulgarem as suas iniciativas e, assim, chegarem de forma rápida aos seus públicos”.

Existe, por isso, além da versão mobile, uma versão web (whatsupintown.com), onde os parceiros (produtores, promotores, etc.) podem introduzir e alterar os dados das suas iniciativas, segundo a segmentação definida. A Red Adviser está igualmente a estabelecer protocolos de colaboração com as autarquias portuguesas, por forma a abranger todo o território nacional.

Em estudo, entretanto, está a extensão da Whatsupintown a outras categorias de artes performativas, bem como alguns upgrades tecnológicos, entre os quais se encontram melhorias na pesquisa por local de espetáculo e nas notificações de alterações de datas/cancelamentos de iniciativas.

Para mais informações

Alberto Moreira

[email protected]

918552265

FONTEWhatsupintown
Artigo anteriorO que fazer no Algarve em setembro?
Próximo artigoIscte Executive Education dá voz a 67 personalidades sobre recuperação do país
Envie-nos o seu press release através do nosso formulário de submissão e potencie a visibilidade da sua marca, empresa, ideia ou projeto. Se tiver dúvidas sobre a elaboração de uma nota à comunicação social, leia o nosso artigo "Como Fazer um Press Release".