Considerado como uma das mais importantes classificações internacionais em termos da critica especializada, os vinhos Casa Quinta da Pellada, tinto, 2017 de Álvaro de Castro e o Quinta da Falorca Garrafeira Vinhas Velhas, tinto, 2015 da Qve Silgueiros S.A. mereceram 96 pontos em 100 possíveis na prova de vinhos portugueses realizada por Mark Squires, provador de Robert Parker, uma classificação que os coloca no topo mundial.

Esta nota coloca-os no descritivo “Vinhos extraordinários, de caráter profundo e complexo, exibindo todos os atributos esperados de um vinho clássico de sua variedade. Os vinhos deste calibre valem um esforço especial para os encontrar, comprar e consumir”.

Os vinhos do Dão estiveram em destaque no painel de prova de vinhos portugueses, publicado no final de agosto no site do mais influente crítico internacional, Robert Parker. Foram 73 os vinhos da região do Dão a receberem a classificação no intervalo de 90 a 95 pontos, que os descreve como “vinho fora de série de complexidade e caráter excecionais”, distribuídos pelos produtores Álvaro de Castro (12 vinhos), Casa da Passarella (9 vinhos), Casa de Cello (3 vinhos), CM Wines (1 vinho), João Cabral de Almeida (1 vinho), Júlia Kemper Wines (6 vinhos), M.O.B. (6 vinhos), Madre de Água (3 vinhos), Magnum Carlos Lucas Vinhos (11 vinhos), Quinta das Marias (4 vinhos), Quinta de Lemos (3 vinhos), Quinta do Perdigão (1 vinho), Quinta dos Roques (4 vinhos), Qve – Quinta Vale das Escadinhas (4 vinhos) e Sogrape (4 vinhos).

Vinhos da Quinta da Pellada e da Falorca entre os melhores do mundo

Na ambicionada e difícil classificação no intervalo 96-100 pontos em que apenas 12 vinhos portugueses se situaram, dois vinhos do Dão mereceram a nota de 96 pontos nomeadamente os vinhos Casa Quinta da Pellada, tinto, 2017 de Álvaro de Castro e o Quinta da Falorca Garrafeira Vinhas Velhas, tinto, 2015 da Qve Silgueiros S.A. (Ver tabela completa).

Segundo Arlindo Cunha, Presidente da CVR do Dão, os vinhos do Dão são de facto excecionais, extraordinários, de caráter único. É inquestionável que os vinhos do Dão estão entre os melhores do mundo e têm hoje uma imagem e prestígio muito forte no mercado e, claro, junto da crítica especializada”.

Ainda sobre as pontuações atribuídas a 75 vinhos da região do Dão, Arlindo Cunha salienta que, “embora a pontuação de 96 pontos para os vinhos Álvaro Castro 2017, Casa Quinta da Pellada e Quinta da Falorca Garrafeira Vinhas Velhas, tinto, 2015 da Qve Silgueiros S.A seja, de facto, o marco mais extraordinário deste painel”, uma pontuação que os coloca num patamar elevado e junto das elites mundiais, para a CVR Dão o maior reconhecimento está na consistência e no elevado número de premiados da região. “Foram 75 vinhos com classificações de 90 pontos e acima”, refere o presidente da CVR. “Estas pontuações são o reflexo do trabalho profissional que se tem feito na Região nos últimos anos”.

Sobre a CVR do Dão:

A Comissão Vitivinícola Regional (CVR) do Dão é a entidade que representa os interesses dos agentes económicos envolvidos na produção e comercialização dos vinhos (ou outros produtos vínicos) que possuem a Denominação de Origem Controlada (DOC) Dão. Compete a este organismo garantir a sua genuinidade e qualidade, pelo que os submete a uma rigorosa coordenação e controlo. Estas atividades abarcam todo o circuito de produção e comercialização dos vinhos, com presença exclusiva dos Agentes de Verificação Técnica do Organismo em todas as operações. Simultaneamente, a CVR do Dão apresenta funções de certificação e autenticação dos vinhos, através da atribuição de Selos de Garantia, sendo responsável pela sua promoção.

Informações adicionais para órgãos de comunicação social:
ANDREIA MARTINS
Communication Coordinator Youngnetworkgroup
Avª. da França, nº 20 – sala 508 4050-275 Porto
t. +351 22 618 04 51
m. + 351 91 677 84 35
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome