mezcal amaras
Mezcal Amarás já está disponível em diferentes restaurantes e bares por todo o país, com maior incidência no Porto e em Lisboa

Pela primeira vez fora do mercado dos vinhos, a Casa de Vilacetinho encontrou no México a mesma filosofia que rendilha nos seus vinhos: o respeito pela origem – pessoas e terra que trabalham o produto. Mezcal Amarás, que até há bem pouco tempo era conhecida como Amores, chega ao nosso país com três gamas – Mezcal Verde, Mezcal Amarás, e Mezcal Amarás Logia.

O Mezcal é uma bebida artesanal formulada a partir do Agave selvagem, também apelidado de ‘Maguey’, uma espécie de cato que serve também de base à tequila, por exemplo. No entanto, esta é produzida apenas com agave azul, podendo ser formulada com outros elementos, enquanto que o Mezcal é produzido a 100% com qualquer variedade de Agave.  Aqui, todo o processo é 100% artesanal.

As plantas selvagens são normalmente colhidas entre os sete e os 35 anos de idade pelos ‘agaveros’ e, depois, passam pelo, quase cinematográfico, Ritual da Seca, numa enorme lareira alimentada por mais de duas toneladas de madeira e pedras do rio durante três a cinco dias. Cabe depois aos “Maestros Mezcaleros” a responsabilidade pelo processo de fermentação 100% natural, feito a partir de leveduras indígenas, e a destilação, que é feita em alambiques de barro ou cobre.

Apesar do Ritual da Seca ser o principal responsavel pelas notas fumadas e muito vibrantes, o tipo de Agave também influencia o sabor. A biodiversidade dos Agaves selvagens é imensa, destacando-se as variedades mais conhecidas como o Espadín, Cupreata, Cenizo, Tobalá, Sierra Negra, Mexicano, e Jabalí.

No entanto, o clima, solo e região de onde o Agave é colhido, também faz a diferença no palato. Por norma, o Mezcal é uma bebida descomplicada que se acompanha apenas com gelo, um pau de canela e casca de laranja, no entanto promete ser um parceiro dos cocktails deste verão. Além de frescura e de alguma provocação na boca, o Mezcal é conhecido pelas suas propriedades naturais, sendo aconselhado para problemas de digestão, pois contem o prébiotico agavin. Além disso, a pensar no verão, esta é uma das bebidas espirituosas com menos calorias.

Mezcal Amarás destina 20% da venda a iniciativas de promoção social e ambiental

Com um produto bem conseguido, a Mezcal Amarás preocupa-se ainda em preservar o futuro da indústria e das comunidades locais, alocando 20% da venda de cada garrafa no desenvolvimento de iniciativas de promoção social e ambiental.

Em Portugal,  o primeiro esforço solidário é dirigido a um dos principais parceiros da marca, o Yamba, bar na Costa da Caparica, que foi vítima de um acidente que dizimou as suas instalações. Num gesto de solidariedade, a marca vai reverter 80% das vendas do exclusivo ‘Mezkal Yamba’ na loja online para apoiar a reconstrução do espaço.

Para João Miguel Maia, diretor da Casa de Vilacetinho e Mezcal Amarás em Portugal, esta novidade não constitui uma revolução na forma de estar da marca histórica no mercado. “A Mezcal Amarás descreve a sua filosofia como “From seed to sip”, da semente para o copo, o que não se distancia muito do que fazemos com a casta Avesso, autóctone do vale do Douro Verde. O respeito pelos mestres agaveros e pelas comunidades locais cativou-nos imenso. Além disso, sabemos que há público, em Portugal, para este tipo de bebida diferenciadora que traz consigo um universo cativante”, refere.

LEIA TAMBÉM: Gin português tem uma nova marca: Terminal, para uma vida “muito mais divertida”

Atualmente, Mezcal Amarás já está disponível em diferentes restaurantes e bares por todo o país, com maior incidência no Porto e em Lisboa. As encomendas também já podem ser feitas online, na loja Mezcal Amarás no Adegga Marketplace.

Sobre a Casa de Vilacetinho:

Localizada na freguesia de Alpendurada, no concelho de Marco de Canavezes, a emblemática Casa de Vilacetinho é uma das marcas mais antigas da região, somando marcos importantes para a história dos vinhos portugueses.

Fundada em 1790, a Quinta de Vilacetinho, poder-se-ia considerar, naquele tempo, um “gigante” quando comparada com a estrutura de outras propriedades do Douro, devido à união de duas vetustas quintas que, durante séculos desde a Idade Média, integraram o património fundiário do Mosteiro Beneditino de Alpendurada.

Esta é uma propriedade única no contexto da região onde está integrada, destacando-se características agrícolas excecionais. Daqui resultam vinhos com perfil distinto, verdadeiros retratos do terroir que lhes dá vida. Vinhos diferentes, refinados, com uma certa feição de Champagne.

LEIA TAMBÉM: Porto Tónico em lata chega ao mercado: Taylor’s Chip Dry & Tonic

O estatuto de qualidade e tradição tem sido honrado pela família que já gere a produção vitivinícola há oito gerações. Atualmente, a Casa de Vilacetinho está presente em três setores de atividade: produção de vinhos, Enoturismo e imobiliária.

Gabinete de Imprensa:

Alice Santos

SILVER LINING – Consultoria de Comunicação

Tlm.: +351 932 510 139 | E-mail: [email protected]   

FONTECasa de Vilacetinho
Artigo anteriorReparação de eletrodomésticos: sim, vale a pena…
Próximo artigoImpacto da pandemia nos jovens: estudo avalia níveis de aceitação das restrições em três países recetores de turistas
Envie-nos o seu press release através do nosso formulário de submissão e potencie a visibilidade da sua marca, empresa, ideia ou projeto. Se tiver dúvidas sobre a elaboração de uma nota à comunicação social, leia o nosso artigo "Como Fazer um Press Release".