zeca aveiro
Zeca Aveiro pretende perpetuar o legado de quase século e meio da Hortícola de Coimbra

São já duas! Venham mais cinco!… A loja do Zeca, que muitos conhecem por Zeca Aveiro, seguiu as pegadas do homem que lhe inspirou o nome, o cantor José Afonso, e abriu um espaço irmão num sítio não menos emblemático, na cidade dos estudantes: a Hortícola de Coimbra.

Um dos estabelecimentos mais antigos da Baixa (desde 1878) renasce assim no local de sempre, na rua Visconde da Luz (uma das vias pedonais mais movimentadas), pela mão de uma loja tradicional portuguesa. Com certeza. E com o intuito de manter o legado.

«É de imaginar que – também – o jovem Zeca Afonso passava pela Hortícola, na rota entre a sua casa, à Sé Velha, e o Café Santa Cruz, e mirava na montra sementes e outros produtos para a agricultura. A loja do Zeca encontrou um novo poiso na Hortícola de Coimbra, onde, fiel à origem deste espaço, manterá a tradicional variedade de sementes. As “brisas do mar”, que o músico eternizou n’O Pastor de Bensafrim, misturar-se-ão doravante com os cheiros de terras conimbricenses, para uma outra aragem na Baixa da cidade», diz João Bem, fundador do Zeca Aveiro, juntamente com Ana Andrezo, em 2014.

Zeca Aveiro: alegria e amor em versão coimbrã

São inúmeras as alusões que o conhecido músico de intervenção faz à terra, às hortas, a flores e a outras plantas. Conta a história da “mulher da erva”, retrata a Maria Faia como “rosa” e “flor”, usa as metáforas de “flores vermelhas” que nascem “junto de uma hera”, de “rubras papoilas” que “têm a cor da romã” e das “flores de malva” que “murcham devagar”. Canta o cheiro a “cravos”, “rosas” e “flor da laranjeira”, namoros “à sombra de milho verde”, juras “à sombra duma azinheira” e a paixão “em verdes prados e campos”.

Zeca Afonso “lavra” no seu “peito a alegria” e “semeia o amor”.

E é disso mesmo que se trata. De alegria e amor. Agora por interposta Hortícola de Coimbra. Com a marca Zeca Aveiro.

«O Zeca é um espaço de gente boa que tem Aveiro no coração. Desde 2014 que recebemos amigos de todo o mundo servindo-lhes o melhor da cidade e de Portugal. Dos serviços de turismo mais exclusivos aos produtos mais originais, para saborear e para conhecer, na esquina do Zeca pode encontrar-se produtos típicos portugueses, que perpetuam recordações», enfatiza João Bem.

E assim será também com a Hortícola de Coimbra, visto igualmente como um local de convívio.

«Sendo este um negócio focado nos conimbricenses e nos turistas que visitam a cidade, vemos esta reabertura como uma forma de manter o turismo na rota das tradições e das raízes locais», sublinha o fundador do Zeca Aveiro.

Coimbra na rota de José Afonso

Nascido em Aveiro, o jovem José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos chega a Coimbra em 1940, com 11 anos. Vive com a sua tia Avrilete e frequenta o liceu Dom João III.

Mais tarde, ingressa no curso de Ciências Histórico-Filosóficas da Faculdade de Letras, joga na Académica, canta no Orfeão, toca na Tuna Académica, trabalha no Diário de Coimbra e grava os seus primeiros discos de Fado.

Nesta cidade, onde a sombra de uma capa “abriu em flores”, Zeca Afonso criou as suas raízes musicais e semeou o futuro como cantor e compositor de intervenção.

Informações adicionais à comunicação social:

João Bem (Zeca) – 963 154 573

João Castro Gomes (Hortícola de Coimbra) – 239 82 37 23

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome