De acordo com um novo estudo realizado pela Ricoh Europa, as pequenas empresas europeias têm 42% mais probabilidade do que as grandes empresas de perder colaboradores devido a frustrações tecnológicas relacionadas com o teletrabalho.

À medida que os proprietários de pequenas empresas continuam a recuperar-se dos efeitos da pandemia global, os trabalhadores esperam que o empregador ofereça uma abordagem mista moderna de como e onde trabalham. Este novo estudo, baseado na opinião de 1300 colaboradores de escritório europeus, revela que 27% dos trabalhadores de pequenas empresas estão a pensar mudar de emprego. O estudo também conclui que:

• 69% afirmam ter capacidade para trabalhar remotamente;

• No entanto, 29% acham difícil manter a motivação e a concentração durante o teletrabalho devido a problemas de comunicação e tecnologia;

• 22% também se sentem menos produtivos devido às restrições de comunicação e tecnologia;

• 48% tiveram de recorrer à sua própria tecnologia para trabalhar remotamente durante a pandemia porque a empresa não forneceu equipamentos.

Esta deficiência de tecnologia não arrisca apenas a retenção de talentos. “É preocupante, num momento em que impulsionar o crescimento é fundamental, que 24% digam que não têm as ferramentas necessárias para entregar os melhores resultados aos clientes ou para colaborar remotamente com a equipa”, explica Ramon Martin, CEO da Ricoh Portugal e Espanha.

Teletrabalho: futuro passa pelo trabalho misto

Apesar dos problemas do teletrabalho, os colaboradores de pequenas empresas não voltarão em massa para o escritório tão cedo. Quando questionados sobre as futuras políticas de trabalho à distância na empresa, 41% acreditam que a empresa permitirá que trabalhem remotamente até o final de 2020, enquanto 34% acreditam que poderia ser indefinidamente, de acordo com os resultados (cujas conclusões podem ser acedidas AQUI).

Com os olhos postos no futuro, dois terços (66%) consideram que o teletrabalho poderia ser a forma de trabalhar standard da sua empresa e 55% confiam que a sua empresa vai investir em soluções tecnológicas para responder aos requisitos do local de trabalho do futuro. Isso inclui tornar o escritório mais seguro, com 40% a afirmar que não se sentiriam confortáveis ​​em regressar, a menos que existam medidas de segurança adicionais, como controladores de temperatura e o uso de equipamentos touchless.

LEIA TAMBÉM: “Remote networking”: Adecco partilha 5 dicas sobre como fazer

Ramon Martin, CEO da Ricoh Portugal e Espanha, afirma: “As pequenas empresas não têm tempo a perder no seu caminho da digitalização. Sem a tecnologia necessária para trabalhar de forma segura e eficiente, tanto em casa como no escritório, os empresários enfrentam uma importante perda de competitividade e uma fuga de talentos. Já não há lugar para as velhas formas de trabalhar. As empresas precisam de implementar uma nova cultura digital que combine o trabalho misto presencial e remoto de forma ágil e eficiente, que automatize os processos importantes do negócio e que garanta a segurança das pessoas e de toda a informação.”

Informações adicionais para órgãos de comunicação social:

Ricoh Portugal

Marisa Pinho – Digital Marketing Specialist

[email protected]

Tlf.: +351 226083800| Tlm.: +351 937205520

Gabinete de Imprensa: YoungNetwork Group

Andreia Martins – Senior Communication Consultant

[email protected]

Tlf.: +351 22 6 180 4 51 | Tlm.: +351 91 677 84 35

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome